quarta-feira, 5 de maio de 2010

Favela Tavares Bastos, no Catete, sediará Comando de Polícia Pacificadora

PACIFICAÇÃO


Publicada em 04/05/2010 às 18h03m
Maria Elisa Alves - O Globo - 04/05/2010
  • R1
  • R2
  • R3
  • R4
  • R5
  • MÉDIA: 5,0
Cabral em cerimônia de assinatura para cessão de terrenos do exército. Foto: Marcelo Piu
RIO - O governador Sérgio Cabral confirmou nesta terça-feira que a Favela Tavares Bastos, no Catete, sediará o Comando de Polícia Pacificadora (CPP), central que será diretamente ligada ao comandante da PM. A comunidade da Zona Sul carioca era a antiga casa do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que irá para a área do 24º Batalhão de Infantaria Blindado, em Ramos, perto do Complexo da Maré. Segundo o governador, em vez de um troca-troca, a mudança de endereço das unidades será um "ganha-ganha" para a cidade.
(Leia mais: Fim de quartel cria polêmica na Tavares Bastos)
A informação foi dada durante durante a assinatura de um protocolo de intenções com o Exército Brasileiro para a cessão de três terrenos ao Estado do Rio. As áreas do 3º Batalhão de Infantaria, em São Gonçalo, e do 19º Batalhão Logístico, em Barretos, em Niterói, serão usadas para a construção de casas do programa Minha Casa, Minha Vida, destinado às famílias que se encontram em locais de risco ou desabrigadas após as chuvas do início de abril. De acordo com Cabral, serão investidos R$ 46 milhões nos terrenos.
(Leia mais: Cabral anuncia construção de apartamentos para moradores de área de risco no antigo complexo penitenciário Frei Caneca)
A criação do CPP constará do decreto governamental para regulamentar as UPPs que deve ser assinado em junho pelo governador. Do decreto vão constar a missão, os objetivos, as etapas, os níveis hierárquicos e o número de cargos de chefia, entre outras informações, nas UPPs. Ficará a cargo do Instituto de Segurança Pública (ISP) a criação de uma metodologia de avaliação semestral das UPPs. A ideia é ter um controle de qualidade, com indicadores qualitativos e quantitativos. A proposta da secretaria é não fixar prazos para não causar desperdícios de recursos futuramente.
O próximo passo, em estudo, é levar para Guadalupe as sedes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) e da Academia de Polícia. O secretário José Mariano Beltrame confirmou que a ideia é que as duas unidades da Polícia Civil ocupem o antigo quartel do 1º Batalhão de Forças Especiais do Exército, perto da Avenida Brasil. Nessa nova estratégia de ir aonde o crime está, a Polícia Civil começa nesta terça-feira a Operação Abutre. Segundo o chefe do Departamento de Polícia Especializada, delegado Rodrigo Oliveira, cerca de 200 policiais de sete unidades especializadas e da Core montarão um cinturão de segurança em bairros próximos aos complexos do Alemão e da Penha, onde o roubo de veículos e os assaltos a transeuntes aumentaram nos últimos meses.

Nenhum comentário: