terça-feira, 26 de outubro de 2010

Chafariz da Glória receberá barreira de vidro para conter vândalos

25/10/2010 - O Globo - Jacqueline Costa

RESTAURADO 4 VEZES

RIO - Depois de quatro restaurações e cinco depredações no mesmo ano, o Chafariz da Glória vai ganhar uma proteção blindada. A intenção é proteger o monumento - construído em 1742 pelo Marquês do Lavradio e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) em 1938 - de novas ações de vandalismo. A obra será a primeira do Rio de Janeiro a contar com esse tipo de proteção, de acordo com o Superintendente do Iphan no Rio, Carlos Fernando Andrade:

- O vidro é pregado direto no chão e não prejudicará a visibilidade do monumento. É uma experiência para salvar um bem que é atacado com muita frequencia. Cada vez que ele é restaurado, são causados novos danos à peça, pois é preciso utilizar produtos químicos e abrasivos para limpá-lo. Ainda não conheço esse tipo de proteção no Brasil. Instalar câmeras não funciona, porque a câmera apenas mostra quem foi o culpado, mas o prejuízo já foi causado.

Segundo o superintendente, em 2010, a prefeitura reformou duas vezes o chafariz e o Iphan mais duas. Ele acrescenta que já foram gastos cerca de R$ 80 mil em restaurações só este ano. Os recursos para a instalação do vidro, cerca de R$ 65 mil, já foram liberados e a licitação foi concluída. Em dez dias, a novidade já deve estar instalada. Como a fonte fica entre dois prédios, apenas a frente de vidro será necessária. No total, o paredão terá 13 metros de largura por 2,40 metros de altura.

Desde que começou a ser restaurado, em setembro do ano passado, o Chafariz da Glória já foi pichado e serviu de banheiro para moradores de rua. No último ataque, no fim de setembro, o monumento foi totalmente pichado e, o mais grave, teve incendiada uma bacia superior junto à parede de argamassa.

Arquiteto do Iphan responsável pela obra, José Ribeiro explica que o vidro tem 16 milímetros de espessura e é resistente até a armas de fogo. Cada lâmina pesa 40 quilos.

Nenhum comentário: