sexta-feira, 6 de julho de 2012

Megareforma na Zona Portuária faz aluguéis subirem na região

04/07/2012 - O Dia, Felipe Freire

Não é só a poeira que está subindo nas ruas da Zona Portuária: as obras de revitalização, que estão apenas no início, já atraem olhares para a região e mexem com aluguéis e preços dos imóveis.
Os canteiros só concluíram a primeira fase da reforma, mas inquilinos viram a conta disparar 20% em seis meses. O mesmo índice foi observado nos valores de venda.
O investimento que faz as cifras subirem não é só público. Há dois grandes empreendimentos imobiliários em construção e pelo menos 70 outros projetos já autorizados pela Prefeitura do Rio, a maioria deles comerciais. A previsão é de que a população do bairro pule de 20 mil para 100 mil até 2020.
O interesse foi alavancado por investimentos de mais de R$ 8 bilhões em obras de infraestrutura do Porto Maravilha, que contemplam revitalização de ruas e abertura de túneis e galerias subterrâneas. Somente na primeira etapa, entregue no domingo, foram R$ 139 milhões para reurbanizar vias.
"A tendência é que a procura e os preços subam mais. Só não disparou por conta da falta de infraestrutura e da insegurança", ponderou o engenheiro da Bolsa de Imóveis-RJ, Eduardo Pompéia. Já no Centro, o Sindicato de Habitação estima alta de 27,7% na venda e 96,4% na locação do m².
Quem vive na região garante que os preços estão subindo há tempos. Tanto que a Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis estimou, em 2011, crescimento de 65,9% nos custos do m² num dois-quartos do Centro.
"Comprei minha casa em 1993 por R$ 15 mil. Uma casinha igual está à venda agora por R$ 400 mil", conta a pensionista Nazaré Aparecida de Freitas, moradora da Rua do Escorrega.
Entre os valores e lucros dos proprietários estão os inquilinos. "Ano passado renovei o contrato de R$ 500 para R$ 1 mil. A casa que você comprava até então por R$ 100 mil não sai por menos de R$ 300 mil. É exagerado", alegou Márcia Regina, que mora na Rua Jogo da Bola.
Agenda das melhorias
- Em andamento
Renovação das redes de água, luz, esgoto, drenagem, iluminação, pavimentação e calçadas em 4,65 milhões de metros quadrados da Zona Portuária. Restauração do Palácio Dom João VI, que abrigará o Museu de Arte do Rio.
- Até junho de 2013
Onze quilômetros de novas vias, 15% das obras do Túnel da Via Expressa (a Av. Rodrigues Alves ampliada e modernizada) e 40% da estrutura do Museu do Amanhã.
Início da demolição do Elevado da Perimetral, conclusão dos túneis da Saúde e da Rede Ferroviária Federal e das alças de subida e descida do Viaduto do Gasômetro. Término do Reservatório do Morro do Pinto.
- Até junho de 2014
Inauguração do Túnel do Binário (via paralela à Av. Rodrigues Alves) e inauguração dos museus de Arte do Rio e do Amanhã.
- Até o fim de 2015
Urbanização dos morros, início da operação de seis linhas do VLT e conclusão do Túnel da Via Expressa.
- Até início de 2016
Demolição da parte final do Elevado da Perimetral e término da urbanização e infraestrutura da Zona Portuária.
Primeira fase entregou ruas sem buracos
A primeira etapa das obras revitalizou 24 ruas da Saúde, Gamboa e Morro da Conceição, fechou 4.900 mil buracos nas vias e resultou na limpeza de 11 mil bueiros. Deu início também à construção de quatro túneis na região.
"As obras melhoraram o clima no local, o Morro da Conceição está mais bonito. As mudanças ajudaram na circulação de pessoas e carros, já que as ruas estão mais limpas e ampliadas", aprova Benigna de Almeida, 77.

Nenhum comentário: