domingo, 28 de outubro de 2012

Criação de parque impedirá construções no entorno da Lagoa e do Canal de Marapendi

28/10/2012 - O Globo

Para a transformação de toda a reserva em parque, Câmara dos Vereadores terá que aprovar um projeto de lei a ser enviado nos próximos dias pela prefeitura

A Lagoa de Marapendi impressiona pela beleza e pela poluição, mais acentuada nas proximidades do Canal das Taxas (à direita) Custodio Coimbra
RIO - A Reserva de Marapendi, na Barra da Tijuca, consegue ser bonita e degradada ao mesmo tempo. Na lagoa e no canal que levam seu nome, encontra-se uma fauna em que espécies como o jacaré-de-papo-amarelo, a capivara e aves migratórias como o falcão-peregrino, o martim-pescador e a batuíra convivem com águas extremamente poluídas. Mas agora o poder público parece querer limpar a área. O prefeito Eduardo Paes anunciou que transformará toda a reserva em parque, proibindo assim novas construções no entorno da lagoa e do canal.

Parte da lagoa, próximo ao Canal das Taxas, em sua parte leste, já era parque. Agora a parte oeste também será. Para isso, a Câmara dos Vereadores terá de aprovar um projeto de lei, a ser enviado nos próximos dias pela prefeitura.

Se algum proprietário quiser construir na Reserva de Marapendi, a prefeitura não vai permitir o empreendimento e vai transferir o potencial construtivo para outra área da Barra. Se for o caso de um hotel de três andares, por exemplo, a prefeitura vai adquirir aquele terreno e autorizar esse parâmetro em outro lugar do bairro explicou Paes.

O trecho da reserva que não pertence ao Parque de Marapendi é atualmente uma área de proteção ambiental.

Independentemente do projeto a ser enviado à Câmara, algumas ações já estão em curso. Agentes do Mosaico Carioca órgão da Secretaria municipal de Meio Ambiente que abarca todas as unidades de conservação da capital visitaram 140 endereços, entre prédios, condomínios e casas, exigindo que eles se conectem à rede formal de coleta de esgoto da Cedae já existente ao longo do Canal das Taxas. E boa parte da Favela do Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, que ainda despeja seu esgoto no mesmo canal, já se ligou também aos troncos da companhia, de acordo com a própria Cedae.

A despoluição do Canal das Taxas é fundamental para a limpeza da Lagoa de Marapendi. A receptividade dos donos dos imóveis foi boa, mas daqui a dois meses faremos novas vistorias disse Celso Junios, secretário-executivo do Mosaico Carioca, acrescentando que todo o Canal das Taxas foi cercado, para proteger animais, que eram constantemente atropelados.

Presidente da Cedae, Wagner Victer disse que os endereços dos imóveis sem conexão com a rede foram encaminhados ao Ministério Público estadual, para que acionem os proprietários.

É responsabilidade dos donos dos imóveis fazer essa ligação disse Victer.

Ideia é formar um corredor verde

Segundo o Mosaico Carioca, o cronograma do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para a dragagem do Complexo Lagunar de Jacarepaguá vai priorizar o Canal das Taxas.

O Canal das Taxas liga a Lagoa de Marapendi ao Parque Chico Mendes. Despoluído e livre do assoreamento, ele se transforma num corredor verde. Esse é o nosso projeto piloto de despoluição das lagoas, numa ação conjunta com outros órgãos do município e do estado disse Celso Junios.

De barco, repórteres do GLOBO puderam conferir várias saídas de esgotos de condomínios de classe média, ao longo do Canal de Marapendi, que desaguam na lagoa. No canal se veem ainda galerias de águas pluviais que despejam dejetos. Uma pequena comunidade também descarrega seu esgoto naquelas águas. Mas é na Lagoa de Marapendi que pode ser vista a maior poluição, vinda do Canal das Taxas, como prova a mancha observada em voos de helicóptero sobre a região.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário: