domingo, 20 de janeiro de 2013

Cem anos depois, a nova cara do Porto

16/12/2012 - Extra, Bruno

Obras viárias começam a mudar o trânsito da região do Porto com intervenções que incluem a construção de túneis e derrubada da Perimetral

Trilhos e bondes faziam parte do cenário do Rio, quando as obras de modernização do Porto terminaram, em 1910. Mais de cem anos depois, um "primo" desse meio de transporte, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), desponta como uma das alternativas para melhorar a mobilidade na Zona Portuária. Até 2016, a região passará por transformações significativas. O EXTRA foi conferir o andamento das obras viárias e o impacto delas no futuro.
Em janeiro, as empresas interessadas em implantar o VLT deverão entregar suas propostas para a prefeitura. Ao todo, o sistema terá 42 estações, que serão interligadas ao Metrô, aos trens da Central do Brasil, às Barcas, ao Aeroporto Santos Dumont e à Rodoviária.
No entanto, a mais visível das mudanças é a eliminação do Elevado da Perimetral. As intervenções no viaduto já começaram, mas a demolição da área utilizada pelos motoristas será iniciada em abril de 2013.
A Avenida Rodrigues Alves será transformada numa via expressa, sem sinais. Parte do percurso dos carros será feito por debaixo da terra. Por isso, na esquina das ruas Primeiro de Março e Visconde de Inhaúma, está sendo cavado um poço que servirá para construir um túnel subterrâneo. Entre a Avenida Venezuela e a Rua Sacadura Cabral há outro poço para a construção do mesmo túnel.
A técnica dos engenheiros consiste em perfurar a terra e depois começar a escavação para os lados. Dessa maneira, os operários abrem mais frentes de trabalho e agilizam a obra.
Paralela à via expressa, haverá o Binário do Porto. A via ligará a região da Rodoviária à Rua Primeiro de Março. O percurso também terá um trecho subterrâneo. O poço de escavação para a construção do túnel desta via está na Praça Mauá. O Binário contará ainda com um segundo túnel, que vai atravessar o Morro da Saúde. Essa estrutura deve ficar pronta no primeiro semestre de 2013.
Especialista: falta metrô

As obras viárias da região são parte do projeto Porto Maravilha. Uma Pareceria Público-Privada designou a concessionária Porto Novo para investir R$7,6 bilhões na modernização da área.
Mas, o professor do Programa de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ Paulo César Martins Ribeiro não é otimista quanto ao futuro do trânsito na região. Para ele, uma medida importante que não está em discussão é a ampliação do metrô:
- Não temos um sistema de transporte público eficiente. Ainda temos de criar a cultura de que o transporte de massa genuíno é o metrô. Precisamos dar alternativa às pessoas, porque cada vez mais gente compra carro.
Diretor Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (CDURP), Rogério Riscado aposta no potencial do VLT:
- Uma das nossa intenções é melhorar a mobilidade da região. A vantagem do VLT é que ele integra os vários meios de transporte.

Nenhum comentário: