domingo, 19 de maio de 2013

2012 – O ano que começou em 2011

28/12/2011 - Blog Porto Maravilha

As leis municipais que criaram a Operação Urbana e a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) são de 2009, mas grandes passos do Porto Maravilha foram dados mesmo em 2011. O Leilão dos Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs), a consolidação da maior Parceria Público-Privada (PPP) do Brasil e o início das obras de infraestrutura e do prédio do Museu do Amanhã são somente alguns exemplos. Nos últimos meses, em especial, a Região Portuária já exibe um novo padrão de serviços. Embora o calendário oficial só previsse o início das obras viárias em 2012, as obras foram adiantadas para o último trimestre de 2011. Na contagem regressiva para a transformação radical desta área da cidade, Jorge Arraes, presidente da Cdurp, aceitou o convite do Blog Porto Maravilha para fazer uma retrospectiva de 2011. E traçar perspectivas para 2012, claro, quando novos projetos avançam: VLT do Rio e a construção dos túneis vão mudar para sempre a configuração do trânsito.

O que você destacaria na operação urbana Porto Maravilha em 2011?

O divisor de águas foi o Leilão dos Cepacs em lote único, porque garantiu o recurso que precisamos para executar obras e serviços pelos próximos 15 anos. Sem dúvida, se tivesse que destacar apenas um ponto seria esse. Trabalhamos na preparação do edital do leilão durante um ano e meio, desde o começo de 2010, mas valeu a pena, deu certo. De qualquer forma, é importante citar também a compra do primeiro terreno pela prefeitura, o Pátio da Marítima. O fundo imobiliário Porto Maravilha, gerido pela Caixa Econômica Federal já negociou com a incorporadora Tishman Speyer o desenvolvimento de um empreendimento no local. É o primeiro projeto a utilizar Cepacs.

Até agora, as metas e o calendário vêm sendo cumpridos?

No caso de obras, estão até adiantados. No segundo semestre, precisávamos apenas ter licenciamento e aprovação de projetos. E já iniciamos várias frentes de obra.

E o que possibilitou esse adiantamento?

Exatamente o fato de o Leilão dos Cepacs ter sido em lote único. Isso deu segurança para a concessionária (Porto Novo) começar as obras. Com todos vendidos em lote único para o fundo imobiliário, ele é a responsável por negociá-los com o mercado, assim como pelo repasse do pagamento à concessionária. Sobre metas cumpridas, além de citar, novamente, o sucesso do Leilão dos Cepacs, fechar a modelagem financeira do Porto Olímpico foi muito importante, pois temos um compromisso olímpico e prazos assumidos com o Comitê Olímpico Internacional para a perfeita realização dos jogos na cidade em 2016. E o início das obras do Museu do Amanhã também marcou bastante, por se tratar de um projeto maravilhoso, símbolo da requalificação.

Quando você circula pela região e pelas obras, costuma ouvir as pessoas, suas queixas e dúvidas? Poderia descrever algumas?

Circulo bastante pela Região Portuária, mas ninguém sabe que sou o presidente da Cdurp. Não me param para reclamar ou elogiar, ando na maior tranquilidade. Uma curiosidade legal, de hoje, é o padrão de acabamento das obras da Fase I do Porto Maravilha. As pessoas estão acostumadas a um determinado padrão de acabamento e começam a ver outro… A melhor definição que ouvi foi a de que o meio-fio da Avenida Venezuela parece serrado a laser. E o melhor é que será assim em toda a região. Independentemente da hierarquização das ruas, o meio-fio será perfeito e igual. Uma coisa pequena, mas que aparece.

Na sua opinião, o que chamará atenção na Região Portuária em 2012?

As obras dos túneis, do Binário , da Via Expressa e da Saúde , vão marcar significativamente o próximo ano. Teremos impacto disso no tráfego. Ao mesmo tempo, temos a complexidade sob o ponto de vista de engenharia, com muita tecnologia envolvida. São várias técnicas no mesmo túnel, em um lugar que tem o lençol freático alto, com influência de maré… Será um desafio. Com isso, obviamente teremos que comunicar bem. Informar às pessoas sobre a sequência de obras para o seu dia-a-dia e aos empresários para eles compatibilizarem seus empreendimentos ao nosso cronograma de obras. Outra coisa muito legal de 2012 é que começamos a preparar as ruas para receber os trilhos do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) .
E na área do desenvolvimento social e econômico de quem hoje já está a região, quais são os planos?

Criamos o programa Porto Maravilha Cidadão, com ações e parcerias exatamente para o desenvolvimento sócio-econômico da Região Portuária. Queremos preparar os moradores para as novas oportunidades de emprego. Criamos o Balcão de Empregos Porto Maravilha, com a Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego, com o qual cadastramos empresas e cruzamos a demanda com a oferta de mão de obra. E também vamos lançar programas de qualificação profissional. No começo de dezembro, assinamos um convênio com o Sebrae/RJ para o desenvolvimento dos pequenos negócios na área. Também estão envolvidas a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Solidário e a UPP Social da Providência. Apoiamos ações esportivas, educativas e de lazer, assim como a produção e difusão de conhecimento sobre a Região Portuária.

Você moraria na Região Portuária?

Tranquilamente! Ali, entre a Rodoviária e a Rua Pereira Reis, na Av. Rodrigues Alves ou na rua de dentro. Vai ficar muito legal, próximo ao Porto Olímpico . Ou no Morro da Conceição, que também me agrada bastante.

Como é imaginar a região em 2017?

Olhar essa paisagem e pensar nela sem o viaduto, com os empreendimentos imobiliários prontos, com a frente do mar disponível para as pessoas caminharem perto do Píer Mauá, com o Museu do Amanhã… Fechar os olhos e… andar do Armazém 6 até a Praça XV a pé, sem cruzar com nenhum obstáculo, é muito bom. Imagino muita gente morando por lá, um ambiente muito mais agradável e limpo, com sua história valorizada… É fantástico!

Nenhum comentário: