quinta-feira, 29 de julho de 2010

Porto Maravilha: Rodrigues Alves vai se tornar via expressa

OBRAS


Publicada em 28/07/2010 às 22h58m
Luiz Ernesto Magalhães - O Globo - 28/07/2010
    RIO - A Avenida Rodrigues Alves será transformada em via expressa sem sinais de trânsito ou pontos de ônibus no trecho entre a Rodoviária Novo Rio e o Mosteiro de São Bento, com três faixas de tráfego em cada sentido. A mudança prevista na segunda-fase do projeto Porto Maravilha , de revitalização da região, consta do edital de licitação para uma Parceria Público Privada (PPP), que será lançado, nesta quinta-feira, pela prefeitura.
    O objetivo da intervenção é fazer com a que a via assuma o papel do Elevado da Perimetral, que será demolido , como um dos principais corredores de tráfego entre as Zonas Norte e Sul da cidade. O edital revelará ainda que a prefeitura decidiu dividir a desativação do Elevado da Perimetral em duas etapas. A primeira delas, em março/abril de 2014, entre a Rodrigues Alves e o Armazém 5; a segunda fase, até dezembro de 2015, do Armazém 5 ao Mosteiro de São Bento.
    Obra deve ser concluída até 2016, a um custo de R$ 3,5 bi
    O custo das intervenções, que fazem parte do pacote urbanístico dos Jogos Olímpicos de 2016, deve chegar a R$ 3,5 bilhões. O prazo final para a conclusão das obras, junho de 2016, pode ser antecipado. A empresa vencedora da licitação ficará responsável ainda por asfaltar 753 mil metros quadrados de vias, plantar 15.202 árvores; instalar 6.984 postes de iluminação e implantar cerca de 280 mil metros de redes de drenagem, esgoto e água potável, entre outros serviços.
    - Fixamos prazos máximos. Mas acreditamos que a conclusão de todas as obras pode ser antecipada em até um ano. O ritmo dos trabalhos será ditado pelo vencedor da concorrência pública - explicou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Felipe Goés.
    Um dos pontos que conta a favor da antecipação dos prazos é que essa será uma licitação em que a prefeitura analisará não apenas o valor proposto pelas concorrentes para fazer as obras (incluindo o valor que deseja receber da prefeitura pela prestação dos serviços), mas também a melhor proposta técnica. As soluções de engenharia terão um peso maior (60%) sobre a oferta.
    O prazo de concessão é de 15 anos sendo que a empresa assumirá pelo mesmo período a tarefa de manter o mobiliário urbana e toda a infra-estrutura (incluindo a coleta de lixo). A estimativa da prefeitura é que, apenas pela prestação desses serviços, a empresa receba $R$ 1 bilhão durante a concessão, vindos do fundo imobiliário.
    Os recursos para pagar a concessionária durante as obras já estão assegurados. Eles virão do Fundo Imobiliário da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Porto (Cdurp), que, há duas semanas, recebeu aporte também de R$ 3,5 milhões do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para investir nos projetos do porto.
    A previsão da prefeitura é de que as obras comecem no início de 2011. A prioridade será construir o chamado Binário do Porto: uma nova via com duas faixas em cada sentido, paralela a Avenida Rodrigues Alves, que deverá ser aberta ao tráfego até outubro de 2013, criando uma alternativa para o tráfego na área. A partir de então, a Avenida Rodrigues Alves seria fechada, tendo seu projeto alterado para virar uma via expressa. A lista de intervenções inclui a construção dos mergulhões (que a prefeitura prefere chamar de túneis) no trecho entre o Armazém 5 e o Mosteiro.
    - Até abril de 2014, a Rodrigues Alves será reaberta até o Armazém 5 como via expressa, com uma rampa provisória de acesso ao Elevado da Perimetral. Isso permitirá a demolição da primeira parte da Perimetral. Quando os túneis forem concluídos e a Avenida Rodrigues Alves estiver em plena capacidade de operação poderemos concluir a demolição do restante do elevado - disse o presidente da Cdurp, Jorge Luiz de Souza Arraes.
    Após as obras serem concluídas, o binário absorverá todo o trânsito local da Zona Portuária. Os acessos aos prédios residenciais e de escritórios que forem construídos no futuro nessa região serão feitos pela nova via. Uma novidade em relação à proposta original do Porto Maravilha é que o corredor de tráfego da futura linha de Veículos Leves Sobre Trilhos (VLT), que interligará a Zona Portuária a Cidade Nova e o aeroporto Santos Dumont, será implantado no Binário e não mais na Avenida Rodrigues Alves.

    Nenhum comentário: