quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Acordo para preservar sambaquis altera traçado do Arco Metropolitano

SÍTIOS HISTÓRICOS


Publicada em 10/08/2010 às 23h09m
O Globo - 10/08/2010
    RIO - Uma negociação entre o Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) determinou a alteração do traçado original do Arco Metropolitano em 20 metros, na altura do quilômetro 17, próximo ao Vale das Pedrinhas. O desvio é necessário para preservar sambaquis em Magé. O Arco Metropolitano ligará Manilha, em Itaboraí, ao Porto de Itaguaí, cortando as principais estradas de acesso ao Rio.
    A arqueóloga Maria Cristina Tenório, do Museu Nacional, da UFRJ, está acompanhando o processo, para garantir a preservação dos 34 sambaquis e outros sítios históricos espalhados pela região.
    - Negociamos com o Dnit a alteração do projeto e, em contrapartida, vamos liberando a duplicação de trechos da BR-493 (Arco Metropolitano) por etapas - disse o superintendente do Iphan no Rio, Carlos Fernandes.
    O Dnit prometeu começar já amanhã a duplicação de sete quilômetros da estrada, entre os quilômetros 18 e 25. No total, serão duplicados 25 quilômetros entre Manilha e Santa Guilhermina, em Magé.
    Leia mais:
    Arco Metropolitano do PAC no Rio só avançou 15%; conclusão ficará para 2011
    Construção do Arco Metropolitano leva à descoberta de 22 sítios arqueológicos na Baixada

    Nenhum comentário: