quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Hoje é dia de deixar o carro na garagem


Estacionamento proibido no Centro, frota total de ônibus e incentivo a bicicletas fazem parte das medidas contra os automóveis

O Dia - 22/09/2010

Rio - Mais de dois mil automóveis devem deixar de circular hoje, no Centro do Rio, no Dia Mundial Sem Carro. A prefeitura proibiu o estacionamento entre a Candelária e a Cinelândia. Oitenta homens vão orientar motoristas e pedestres. O uso de bicicleta e transporte público também será estimulado. Para os insistentes em tirar o carro da garagem, um alerta: uma galinha está perto de andar mais rápido do que os motorizados.
Foto: Eduardo Naddar / Agência O Dia
Rodolfo e sua magrela: ‘Tenho usado bicicleta até para ir almoçar. Vou até a Urca curtir um visual e volto’ | Foto: Eduardo Naddar / Agência O Dia
Hoje, a cidade ganha nove Zonas 30 — ruas em que o limite de velocidade cai para 30 km/h, permanentemente. A Secretaria Municipal de Transportes recomendou às empresas de ônibus que utilizem 100% da frota nos horários de pico. Na Carioca, a prefeitura montará somente hoje posto de aluguel de bicicletas em parceria com a Sertrel — a empresa estuda adotar o RioCard no pagamento das mensalidades e pretende inaugurar 19 estações em Botafogo, Flamengo e Centro este ano. O serviço chegará à Tijuca depois.


Prometem dar o bom exemplo Sebastião Rodrigues, secretário estadual de Transportes, e o prefeito Eduardo Paes. Sebastião percorrerá de bicicleta cerca de 7,5 km da Praça 15 a Copacabana. Paes sairá da Vista Chinesa, no Horto, até o Palácio da Cidade, em Botafogo.


Malha imbatível


O Rio conta com 160 km de ciclovias — a maior malha do Brasil. Só em Botafogo são 8.800 viagens em magrelas por dia. Entre elas estão as do publicitário Rodolfo Guimarães, 34. Ele vai todo dia de casa, no Humaitá, até o escritório, em Botafogo. “Todo mundo devia fazer isso! Desafogaria o trânsito, poluiria menos. Bicicleta é a cara do Rio”.


Andar sobre duas rodas às vezes é mais rápido do que ir de carro. A Fundação SOS Mata Atlântica lança hoje a campanha ‘Vá de Galinha’, para incentivo de meios de transporte alternativo. A velocidade média de um carro na hora do rush, em São Paulo, é de 15 km/h — um a mais que uma galinha. Situação semelhante se repete no Rio.
Foto: Arte O Dia
Foto: Arte O Dia
As novas ruas onde não se passa de 30 Km/h:


ZONA SUL

Ipanema: R. Piragibe F. Aguiar, Teixeira de Melo, B. da Torre, Antonio Parreiras e Jangadeiros


ZONA NORTE

Grajaú: R. Marechal Jofre, Prof. Valadares, Grajaú e Mearim

Higienópolis: Darke de Matos

Del Castilho: Volta Grande, Turiuva, Bispo Lacerda, Fazenda Nova e Travessa Eduardo

Ilha do Governador: Parque Manoel Bandeira, Praia de Olaria, Paranapuan, Estrada do Cacuia, Praia de Congonhas do Campo, Capitão Barbosa e Praia da Bandeira

Anchieta: Praça Granito, Joaquim Sales, Lucio de Gouveia, Bento Pereira, Carolina Micaelis, Sancho de Faro, Marcos Noronha, Pinheiro Chagas, Rebelo da Silva e Romeu Casagrande.


ZONA OESTE

Jacarepaguá: Avenida Isabel Domingues

Bangu: 12 de Fevereiro, Fonseca, Silva Cardoso, Prof. Clemente

Campo Grande: Amaral Costa, Augusto de Vasconcelos, Agostinho Coelho, Eng. Trindade, Viúva Dantas, José Ferreira, Doutor Caetano de Faria Castro.

Santa Cruz: Dom Pedro I, Lopes de Moura e Barão de Laguna


Ciclista poderá debitar R$ 20 no RioCard


Nada de metrô lotado ou engarrafamento no ônibus. A partir de novembro, o RioCard pode assumir função que ainda ajuda a manter a saúde em dia. Segundo Carlos Antonio de Farache, coordenador de Operação da Sertel, que opera o serviço de bicicletas públicas na cidade, a ideia é que o usuário utilize os créditos para alugar as bicicletas espalhadas por cinco pontos do Rio.


Outra opção é transformar o cartão em chave que liberaria a magrela — o valor seria debitado no cartão de crédito.


As alternativas estão sendo discutidas pela Sertel e pelo RioCard, e ainda não há data certa para implantação do projeto, que havia sido anunciado pelo ex-secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, para 23 de novembro. Segundo Farache, a adesão às bikes públicas duplicou desde que foram instaladas as nove estações em Ipanema, Leblon, Gávea e na Lagoa, em março. Mais de mil pessoas usam o serviço hoje. O projeto começou em Copacabana, com oito estações, no ano passado.


O usuário se cadastra na Internet e paga R$ 20 mensalmente, por cartão de crédito. Ele tem direito a andar uma hora, com 20 minutos de tolerância. Caso a regra não seja cumprida, há multa de R$ 5 por hora excedente. O cadastro é feito no site www.mobilicidade.com.br
Reportagem de Cristine Gerk e Renata Monti

Nenhum comentário: