segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Construções mudam a paisagem de Itaboraí


O Fluminense, Letícia Mota, 03/out
Demanda de imóveis residenciais e comerciais cresce por conta do Comperj
A paisagem de Itaboraí está em plena mudança. A escolha da cidade para receber a construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) tem feito a demanda por imóveis residenciais e comerciais aumentar e está provocando alterações no mercado imobiliário da cidade, que passa a ser vista não mais como simples e bucólica, mas sim, um futuro centro comercial e logístico da indústria do petróleo na região.
A instalação de empreendimentos como o Hellix Business Center, o Hotel Ibis e o residencial Recanto das Flores, entre outros, começa a mudar a "cara" da cidade e gera empregos e renda para o município. Cerca de mil empregos diretos e indiretos devem ser criados apenas com essas novas construções - o número, em todo o município, só na construção civil, deve chegar a 7 mil nos próximos anos. 
"Os novos investimentos que chegam ao nosso município representam uma grande esperança financeira para a população. E não é só a área hoteleira e residencial que cresce. Itaboraí tem tido um avanço em todos os setores, principalmente na construção civil, onde cerca de 7 mil empregos serão gerados nos próximos anos", afirma o secretário de Habitação, Trabalho e Renda de Itaboraí, Saíde Abrão.
Josué Mello, sócio do Grupo Integração, que em parceria com a construtora AS e a Adriano Soares Incorporação está lançando o Hellix Business Center, a demanda por empreendimentos comerciais e hotéis em Itaboraí é grande, e a construção do empreendimento visa atender os executivos e comerciantes que se instalarão no local por conta do Comperj.
"Itaboraí tornou-se uma cidade promissora, onde os negócios acontecerão em torno do Comperj e seus desdobramentos. Um centro de negócios com um hotel são essenciais para atender ao público que passará a frequentar a cidade, assim que o complexo estiver em funcionamento", explica o sócio do Grupo Integração, revelando que, mesmo antes do lançamento, cerca de 70% das unidades já estavam reservadas.
Jânio Valeriano, diretor de empreendimentos do Grupo Paranasa/Maio, que em parceria com a rede Accor construirá o Hotel Íbis, explica que é natural as empresas acompanharem o desenvolvimento da região.
"Não há como negar a importância de Itaboraí na região, por conta dos investimento no setor petrolífero. A obra deve gerar 400 empregos diretos e indiretos na região, além de contribuir para o aquecimento do comércio local", avalia.
Segundo Euclides Tarre, proprietário da REG Engenharia, empresa responsável pelo primeiro empreendimento do programa "Minha casa, minha vida" em Itaboraí - o residencial Recanto das Flores é ideal para quem quer morar em um lugar calmo e tranquilo, mas com infraestrutura.
"A cidade está crescendo e a tendência é que os novos empreendimentos acompanhem as novidades do mercado. Comprar imóveis em Itaboraí para morar ou investir é um bom negócio", explica.
Em breve, novos empreendimentos
Para Bruno Serpa Pinto, diretor da Patrimóvel-Niterói, imobiliária que acaba de se instalar no município, a perspectiva é de expansão de um mercado promissor e ainda pouco explorado e com números atraentes. "Em cinco anos Niterói, Itaboraí, Maricá e São Gonçalo serão um único mercado".
O Hellix Business Center, avaliado em R$ 65 milhões, começará a ser construído em abril de 2011 e tem conclusão prevista para 2013. O empreendimento será composto de 156 sa¬las comerciais, em duas torres; hotel com 108 unidades; 57 lojas; estacionamento; shopping center; praça de alimentação e heliponto. O empreendimento, na Avenida 22 de Maio, no Centro de Itaboraí tem preços de salas a partir de R$ 140 mil e de lojas a partir de R$ 250 mil.
Já o Hotel Ibis Itaboraí começará a ser construído no primeiro trimestre de 2011 e tem investimento de R$ 40 milhões. O prédio, com 200 apartamentos, também na Avenida 22 de Maio tem conclusão prevista para o primeiro semestre de 2013.
Serpa Pinto explica que o mercado residencial também ganha imóveis e que os investimentos do programa "Minha casa, minha vida" do Governo Federal estão aumentando. A oferta de imóveis é de até R$ 130 mil e entre as opções estão o residencial Vida Boa, da construtora CHL, e o Recanto das Flores, da REG Engenharia, com 160 casas.

Nenhum comentário: