domingo, 24 de julho de 2011

Mergulhões olímpicos transformarão a Avenida Ayrton Senna em via expressa já a partir do ano que vem

22/07/2011 - O Globo, Luiz Ernesto Magalhães (luiz.magalhães@oglobo.com.br)

RIO - O Transcarioca, corredor exclusivo para ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca à Penha (a partir de 2012) e ao Aeroporto Internacional Tom Jobim (em 2013), prevê a transformação da Avenida Ayrton Senna numa via expressa sem sinais até o fim do primeiro trimestre de 2012. Com a mudança, o motorista poderá sair do aeroporto, passando por autoestradas como as linhas Vermelha e Amarela, e chegar à Praia da Barra cerca de 45 minutos depois.

INFOGRÁFICO: Saiba mais sobre o projeto

O projeto, que faz parte do pacote de obras para as Olimpíadas de 2016, prevê que os retornos com sinais existentes entre shoppings e o Hospital Lourenço Jorge serão substituídos por três mergulhões destinados aos carros particulares - os ônibus utilizarão a via segregada. Os novos acessos já se encontram em construção. O diretor de Desenvolvimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Ricardo Lemos, disse que nos horários do rush a Avenida Ayrton Senna já está perto da saturação.

- O novo esquema de circulação permitirá um aumento de 30% na capacidade da Avenida Ayrton Senna. Hoje, 178 mil veículos já circulam por dia pela Ayrton Senna. Há três anos, eram 20 mil a menos. Nos horários de pico, já circulam 6.800 carros por hora quando a capacidade teórica é de oito mil - explicou Lemos.

O novo esquema de circulação permitirá um aumento de 30% na capacidade da Avenida Ayrton Senna. Hoje, 178 mil veículos já circulam por dia pela Ayrton Senna. Há três anos, eram 20 mil a menos
Trabalhos mais avançados perto da Cidade da Música
Algumas medidas pontuais vêm sendo adotadas nos momentos de pico para tentar reduzir os congestionamentos. A Lamsa, responsável pela operação da Linha Amarela - mas que atua também na Avenida Ayrton Senna - bloqueia o retorno para a Barra, nas proximidades do Via Parque, para dar maior fluidez ao tráfego.

Os trabalhos estão mais avançados nos dois mergulhões em construção nas imediações da Cidade da Música. Cerca de 40% das obras já foram feitas. Como o terreno é muito instável devido à proximidade com o mar, os engenheiros optaram por uma técnica igual à empregada na construção do metrô. O solo é escavado para construir estruturas em concreto (paredes de diafragma) para estabilizar o terreno.

Galerias de serviço serão implantadas nos mergulhões
Outro obstáculo é a existência de cabos e fios de concessionárias de serviços públicos, como Light e CEG, que terão de ser remanejados. Os novos cabos serão embutidos numa espécie de galeria técnica dentro dos mergulhões, para facilitar a manutenção. O objetivo é tentar reduzir a frequência com que os técnicos dessas empresas precisam abrir buracos no asfalto para executar os trabalhos.


- Os mergulhões serão para atender ao trânsito local. Os BRTs seguirão pelas faixas centrais da Ayrton Senna e por uma nova ponte estaiada que será construída antes do acesso à Linha Amarela - disse o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto.

Ricardo Lemos acrescentou que, com o fim dos sinais, mudanças estão sendo analisadas na circulação dos veículos que seguem para shoppings e supermercados da Ayrton Senna, no sentido Linha Amarela. Uma das medidas seria segregar uma das faixas laterais para que esses veículos circulassem em velocidade mais baixa.

Hoje, a Ayrton Senna só não tem sinais na faixa central entre a descida da Linha Amarela (Cidade de Deus) e o Shopping Via Parque. Além dos mergulhões, sete passarelas serão instaladas entre o supermercado Carrefour e o Shopping Via Parque. Duas das passarelas, localizadas em frente ao Via Parque e ao Hospital Lourenço Jorge, também terão saídas para estações de BRTs.

Na Barra , os veículos do BRT Transcarioca sairão do Terminal Alvorada, onde se integrarão com os carros do BRT Transoeste (Jardim Oceânico-Campo Grande). O projeto do Transcarioca prevê ainda a implantação de um quarto mergulhão ligando os bairros de Campinho (Rua Cândido Benício) a Madureira (Rua Domingos Lopes), que também já está em execução. Na Zona Norte, como o terreno é mais estável, os operários puderam escavar a terra. A conclusão dos serviços depende da demolição de alguns imóveis que ainda estão sendo desapropriados. Outra diferença é que, ao contrário do que acontece na Barra, os BRTs também circularão pelo mergulhão da Zona Norte.

22/07/2011

Nenhum comentário: