terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Paes é empossado e anuncia integração definitiva do bilhete único ao metrô e barcas

Paes é empossado e anuncia integração definitiva do bilhete único ao metrô e barcas

01/01/2013 - O Globo

Depois da cermimônia, prefeito reeleito seguirá ao Palácio da Cidade

RAFAEL GALDO

RIO — Foram empossados na tarde desta terça-feira na Câmara de Vereadores do Rio o prefeito Eduardo Paes e o seu vice, Adilson Pires. Em seu discurso durante a solenidade, Paes adiantou alguns projetos e decretos que estão sendo publicados neste primeiro dia do ano no Diário Oficial do Município. Entre eles a determinação de um prazo de 180 dias para instalação do ponto biométrico na rede de saúde da prefeitura e a integração definitiva do bilhete único carioca ao metrô e às barcas, nos próximos seis meses.
Entre as outras medidas por ele anunciadas estão a criação de mecanismos de controle de convênios, como a redução de contratos de veículos, para reduzir os gastos públicos. Entre as medidas de redução de gastos que serão adotadas o secretário da Casa Civil, Pedro Paulo, lembra que haverá cortes lineares de 10% dos encargos especiais para todas as secretarias já a partir do próximo vencimento. Isso vai gerar uma economia de R$ 65 milhões por ano no total. O total dos decretos publicados hoje, entre soma de receitas e cortes de gastos, deve render à prefeitura economia entre R$ 1 bilhão a R$ 1,5 bilhão por ano. Entre outras medidas ele ainda citou a possibilidade de reembolso em dinheiro da nota fiscal eletrônica e a regulamentação do Programa de Recuperação Fiscal carioca.
— Tenho consciência das oportunidades que o Rio vive e vai viver nos próximos quatro anos. Tenho clareza que não podemos repetir o primeiro mandato e obrigação de ter um segundo mandato muito melhor. Vamos governar com muita inquietude de olhar crítico sobre a minha própria administração. O meu comando para o secretariado é: tudo tem jeito — disse Paes, ao lembrar do papel importante do legislativo para projetos do mandato anterior, como o da Zona Portuária e do plano diretor.
Perguntado sobre possíveis críticas que ele mesmo faça sobre seu governo, respondeu, em tom de brincadeira:
— Fico inquieto. Sou crítico, mas guardo para mim. Não sou bobo.
O presidente reeleito da Câmara, Jorge Felippe, afirmou que a casa estará aberta e solícita para discutir os assuntos da cidade. Ele falou, ainda em seus discurso, sobre transparência e respeito.

Nenhum comentário: