quinta-feira, 11 de abril de 2013

Duplicação do Elevado do Joá começa este ano

11/04/2013 - O Globo, Maria Elisa Alves

Projeto, orçado em R$ 489 milhões, prevê mais dois túneis e ciclovia ao longo da via

Depois de receber um estudo da Geo-Rio, o prefeito Eduardo Paes bateu o martelo e decidiu que vai duplicar o Elevado do Joá. Serão construídos na encosta mais dois túneis e um novo elevado. O já existente vai ganhar uma ciclovia, voltada para o mar, e que também se estenderá pelos túneis. A obra custará R$ 489 milhões e, segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, será executada
em dois anos. O edital de licitação, diz o prefeito, será publicado em maio. Explosões para a abertura dos túneis, que passarão por baixo de mansões da região, vão ser feitas duas vezes ao dia. Moradores da região dizem que são favoráveis ao projeto, mas temem que as detonações causem impacto em cerca de 300 casas localizadas na Joatinga.
O secretário de Obras, no entanto, diz que não há perigo para a população:
- Foram feitos estudos geológicos e o trabalho de detonação será monitorado. Não haverá riscos para as construções existentes na encosta - garante Pinto.
Presidente da Sociedade de Amigos da Joatinga, Roberto Fernández está receoso:
- Acho que o projeto é bom para a região, porque tem um impacto positivo no trânsito. Para nós moradores, os transtornos podem ser grandes durante as obras, como o barulho e os explosivos. Não acho que seria interessante utilizar esse tipo de material, pode causar danos nas 300 casas da encosta, onde vivem cerca de 1,2 mil pessoas. Acho que uma alternativa seria o usar o Tatuzão, que vem sendo usado nas obras do metrô de Ipanema. É um equipamento que perfura a rocha sem necessidade de explosões.
Capacidade viária vai duplicar
Com as duas novas vias e os dois novos túneis, paralelos aos já existentes, a capacidade viária de tráfego será duplicada, facilitando a ligação entre a Zona Sul da cidade e a Barra da Tijuca. As novas pistas terão extensão de cinco quilômetros, cada. O destaque do projeto é a construção de uma ciclovia contígua às faixas do elevado, com tamanho correspondente, ao lado do mar, privilegiando a vista e valorizando ainda mais o trajeto entre os bairros para os ciclistas, com potencial para se transformar em atraente ponto turístico e contribuindo para a ampliação da malha cicloviária da cidade.
Segundo Alexandre Pinto, não vai demorar para o projeto sair do papel. As obras começam ainda em 2013 e não vão atrapalhar o trânsito da região, já que não haverá necessidade de interditar as faixas já existentes.
O estudo para implantação das novas vias e túneis no Elevado do Joá foi apresentado pela Secretaria de Obras ao Comitê Olímpico Internacional (COI) como uma das soluções viárias durante as Olimpíadas de 2016, em agosto do ano passado.
Desde dezembro de 2012, o Elevado do Joá passa por intervenções para garantir sua estabilidade estrutural. Um relatório da Coppe, da UFRJ, mostrou que o viaduto apresentava corrosão em diversos pontos e que alguns dentes de Gerber, que têm função estrutural, estavam comprometidos. Para dar segurança maior aos usuários, a carga dos dentes de Gerber vai ser retirada com a instalação de vigas metálicas, que reforçarão pórticos já reformados. Além disso, a CET-Rio vetou totalmente a circulação de caminhões na via, todos os dias da semana, com previsão de duração de 12 meses. Outra alteração foi a redução da velocidade máxima permitida na via, que passou de 80 km/h para 60 km/h. Toda reforma do elevado do Joá está orçada em R$ 70 milhões.
Moradores aprovam projeto, mas fazem ressalvas
Presidente da Associação de Moradores de São Conrado, José Britz acredita que o projeto vai melhorar o fluxo de veículos no sentido Barra. Mas, segundo ele, a prefeitura precisa discutir medidas para atenuar o impacto em São Conrado, que passará a receber mais veículos.
- É um passo importante. Somos favoráveis. É claro que haverá transtornos por conta das obras, mas não podemos fazer um omelete sem quebrar os ovos. Acho que vai melhorar o trânsito no sentido Zona Sul/Barra. No sentido contrário, teremos um gargalo em São Conrado. Portanto, a prefeitura precisa também pensar em projetos para resolver essa questão. Por exemplo, criar o mergulhão da Praça Sibélius, na Gávea, e pensar ainda numa solução para o Túnel Zuzu Angel - diz Britz.
Para Roberto Fernández, seria necessário, ainda, duplicar a ponte que liga a Avenida Armando Lombardi e a Avenida das Américas, ao lado do Shopping Downtown, para evitar impacto no trânsito da região.

Nenhum comentário: