sábado, 12 de outubro de 2013

Faixa reversível na Presidente Vargas também começa na segunda-feira

12/10/2013 - O Globo

WALESKA BORGES

Interdição ocorre no dia 19 Agência O GLOBO / Pedro Kirilos

RIO - As mudanças na região central da cidade para obras do Elevado da Perimetral, que será interditado no próximo dia 19, entre o Gasômetro e a Praça Mauá, já são alvo de críticas. Representantes do comércio e pessoas ligadas ao transporte de mercadorias criticam a restrição no horário das operações de carga e descarga: elas serão proibidas, nos dias úteis, das 6h às 21h, a partir da próxima segunda-feira. De acordo com eles, o comércio e as transportadoras terão que fazer essas operações no horário noturno, comprometendo a segurança e aumentando os custos. Já a eliminação de 1.449 vagas do Rio Rotativo em mais de 20 vias do entorno preocupa os guardadores, que temem perder seus empregos. Além disso, o trânsito pode ficar complicado com a implantação, também na segunda, de uma faixa reversível na Avenida Presidente Vargas, sentido Praça da Bandeira-Candelária.

De acordo com professor de varejo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Daniel Plá, as medidas vão afetar o comércio de imediato. Ele lembra que, diariamente, a região recebe cerca de 2 milhões de pessoas — muitas para fazer compras nas lojas do Saara. Plá acredita, porém, que, dentro de um mês, a população terá se acostumado:

— Até lá, as pessoas vão se adaptando e usando outros meios de transporte, como metrô e ônibus.
Para o presidente do Sindilojas-Rio e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Rio), Aldo Gonçalves, o comércio perderá consumidores vindos de cidades como Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Nova Iguaçu e Caxias. Segundo ele, essas pessoas utilizam a Perimetral e não vão querer enfrentar tantos transtornos para chegar ao Centro. Ele diz ainda que, com a restrição da carga e descarga, haverá um aumento do custo operacional do comércio.

O presidente da Federação do Transporte de Cargas do Rio de Janeiro (Fetranscarga), Eduardo Rebuzzi, também reclama dos custos operacionais:

— A operação dificultada encarece o trabalho.

O presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio (Cdurp), Alberto Gomes Silva, informou que tem realizado reuniões para esclarecer a população sobre o novo modelo de trânsito da região e pediu que as pessoas priorizassem o transporte público. A prefeitura disse que distribuirá, na segunda-feira, 500 mil folhetos sobre a faixa reversível na Presidente Vargas, que funcionará de segunda a sexta-feira, das 6h às 11h.

Nenhum comentário: