sexta-feira, 25 de julho de 2014

Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, terá novo espaço livre de tapumes

25/07/2014 - O Globo



RIO — Após um ano e nove meses cercada por tapumes e polêmica, a Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, começa a ser devolvida à população no domingo. O espaço foi parcialmente interditado por conta das obras da Linha 4 do metrô (Barra-Zona Sul) e reabre com nova urbanização. Cerca de 30% de área interditada serão reabertos, com direito a festa para as crianças. O trecho, próximo às ruas Joana Angélica e Barão da Torre, somado ao cantinho da praça que não foi interditado, terá agora um total de 46% de área livre de obras. A outra metade deverá ser liberada no fim do projeto, no primeiro semestre de 2016, quando a estação Nossa Senhora da Paz estará pronta, com capacidade para o embarque e desembarque de 47 mil passageiros por dia.

No espaço que será reaberto estão o coreto, dois monumentos, o laguinho e uma das figueiras mais antigas da praça. O lago recebeu novo sistema de oxigenação da água, o que ajudou a aumentar a população de peixes: cerca de mil carpas e 800 tilápias, segundo o consórcio responsável pelas obras do metrô. O funcionário encarregado geral do canteiro de obras ficou com a tarefa de cuidar da figueira quase centenária e alimentar os peixes durante a interdição da área.

PROJETO INCLUI ILUMINAÇÃO E CALÇADAS RECUPERADAS

O coreto e os monumentos foram restaurados de acordo com as características originais da praça, conforme orientação do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, garante o consórcio. A área devolvida terá ainda nova iluminação, calçada recomposta, bancos reformados e projeto de paisagismo.

Além disso, serão replantados sete palmeiras e um coqueiro, que haviam sido retirados da praça. E dentro da compensação ambiental, outros 96 exemplares, como oiti, flamboyant-mirim e manacás, também serão replantados. O consórcio garante que, ao fim das obras, serão feitos novos replantios de árvores retiradas.

O secretário estadual da Casa Civil, Leonardo Espíndola, comemora a reinauguração do trecho da praça aos moradores:

— A revitalização do espaço é sinal do compromisso do estado com a qualidade de vida dos moradores. Esta é uma demonstração clara de que os impactos temporários provocados pela obra são substituídos por melhorias permanentes na vida da população.

CANTEIRO POLÊMICO

A interdição parcial da praça para obras do metrô não agradou aos moradores, que chegaram a recorrer à justiça. Em outubro de 2012, o estado conseguiu na Justiça suspender a liminar que determinava a paralisação da obra. A ação cautelar fora movida por moradores do bairro, que protestaram contra o projeto que obstruía a área de lazer. Eles reivindicavam uma outra alternativa para a construção da estação.

O grupo promoveu manifestações e conseguiu um abaixo-assinado com mais de 16 mil adesões contra a interdição parcial do espaço e a retirada de árvores centenárias. A praça, então, mesmo durante as obras, teve um pedaço aberto ao público. Ignêz Barreto, coordenadora da ONG Projeto Segurança de Ipanema, reclama que a praça não será devolvida respeitando o paisagismo original:

— Embora tenham alardeado que as árvores seriam replantadas, só tem palmeirinhas. Não estão devolvendo de acordo como era. Houve crime ambiental, derrubaram árvores centenárias.

Nenhum comentário: