terça-feira, 1 de julho de 2014

Teleférico do Morro da Providência reabrirá nesta quarta-feira

Bondinho no Rio de Janeiro, com capacidade para mil passageiros por hora/sentido, não será tarifado. Reabertura está marcada para 4ª feira (2)
01/07/2014 -  Manchete Online 

RJ: teleférico em testes na semana passada
RJ: teleférico em testes na semana passada
créditos: Fabiano Rocha / Agência O Globo
 
O Teleférico do Morro da Providência será reinaugurado nesta quarta-feira (2) pela Prefeitura do Rio de Janeiro. O bondinho com três estações, localizado na região central do Rio de Janeiro, liga a Praça Américo Brum à Central do Brasil e à Gamboa.
 
A viagem, com tarifa gratuita, percorre 721 metros em aproximadamente cinco minutos e tem a capacidade de levar mil passageiros por hora em cada sentido. Serão 16 cabines atendendo usuários e uma gôndola para manutenção.
 
Cada cabine tem capacidade para transportar oito passageiros sentados e dois em pé. Além disso, estações e gôndolas são adaptadas para portadores de necessidades especiais, que recebem o auxílio dos operadores e dos auxiliares.
 
A estação do Morro da Providência é ligada à Praça Américo Brum. A da Central do Brasil é na Praça Cristiano Otoni, ao lado da Estação Central do Brasil, com conexões com os trens da SuperVia, metrô e ônibus. Já a da Gamboa é na esquina da Rua Rivadávia Corrêa, com a Rua da Gamboa.
 
De acordo com a Companhia de Desenvolvimento do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), o funcionamento se dará em quatro fases e terá horário e condições especiais para teste e treinamento de funcionários.
 
Na primeira fase, o funcionamento será das 9h às 11h. Na segunda fase, irá funcionar das 14h às 16h. Já na terceira fase, funcionará de segunda à sexta, das 8h às 12h, e de 14h às 20h, e no sábado, de 9h às 15h.
 
Na quarta fase, o funcionamento será pleno e normal e vai funcionar nos seguintes horários: de segunda à sexta-feira, de 6h às 21h, no sábado de 7h às 19h e domingos e feriados, de 9h às 18h.
 
Durante cerca de dois anos, desde que realizou a primeira e única viagem-teste em dezembro de 2012, o teleférico ficou praticamente abandonado, gerando protestos dos moradores do Morro da Providência, que alegavam ter urgência neste meio de transporte na comunidade. Outra queixa dos moradores era sobre o destino das famílias desapropriadas em função da obra. Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, o morro da Providência abriga cerca de 1.400 famílias, sendo que, destas, 118 tiveram que ser reassentadas para a construção do teleférico. Elas serão transferidas para moradias do programa Minha Casa Minha Vida sendo que, dos reassentamentos previstos, 34 já foram entregues e 84 aguardam a conclusão das obras, informa o órgão responsável (Cdurp).    

Nenhum comentário: