sábado, 6 de setembro de 2014

Com os dias contados, Elevado da Perimetral começa a dar lugar a uma nova paisagem

06/09/2014 - O Globo

Dois últimos trechos do viaduto, de 40 metros cada, irão ao chão até novembro. Na Praça Quinze, a cenário já mudou

POR TAIS MENDES

No trecho da Avenida General Justo até a Praça Quinze, é possível ver os restos de parte do tabuleiro do elevado já no chão - Gabriel de Paiva / Gabriel de Paiva

RIO — Falta pouco para que o Elevado da Perimetral desapareça do cenário carioca: a previsão é final de novembro. A partir daí, restarão apenas alguns pilares com as frases do profeta Gentileza como últimos vestígios da via, que teve o primeiro trecho inaugurado em 1960, interligando as avenidas General Justo e Presidente Vargas, após dois anos de obras. Um esquema especial de trânsito, ainda sem data prevista, deverá ser montado para a demolição dos 80 metros de tabuleiro que ainda estão de pé — um de 40 metros, entre a Rodoviária Novo Rio e o Elevado do Gasômetro, e outro na altura do Distrito Naval.

Outra novidade é que o primeiro lote dos trilhos do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que será construído na França, já começou a ser transportado do Porto do Rio para o canteiro de obras, na Avenida Professor Pereira Reis, na madrugada de ontem. O material pesa 819 toneladas e corresponde a 15 quilômetros dos 28 previstos. Quinze carretas são responsáveis pelo transporte dos trilhos. O VLT terá seis linhas, e a estimativa é que a primeira esteja pronta para testes em dezembro de 2015. O sistema fará a ligação entre a rodoviária e o Aeroporto Santos Dumont.

Também este mês será concluída mais uma etapa da cobertura central do Museu do Amanhã, no Píer Mauá. A primeira das 24 estruturas em aço que farão parte da base do telhado, com 14 metros de altura, 52 de comprimento e 80 toneladas, foi instalada em junho. Depois de pronto, o telhado terá 350 aletas (espécie de asas) metálicas, que se moverão de acordo com a posição do sol, para captar a iluminação natural. A parte de concreto está quase toda concluída. A previsão é que o museu fique pronto no primeiro semestre de 2015.

VISÃO PRIVILEGIADA

Na Praça Quinze, a paisagem já mudou. Com a demolição do elevado, quem passa por lá tem uma visão privilegiada da Baía de Guanabara e de prédios históricos, como o Paço Imperial, o Museu Histórico Nacional e o Palácio Tiradentes. Da Perimetral, restam apenas três pilares, na altura do Distrito Naval, e que atualmente estão em processo de demolição.

— Ficou legal, bem melhor, mas é estranho sem o elevado — observou a médica Valéria Lima, moradora de Niterói que diariamente desembarca na Praça Quinze. — A praça está mais clara, mais segura. Vamos agora esperar que façam a urbanização prometida, e sem atrasos — completou.

Projeto prevê a construção de passeio público e ciclovia ligando a Praça Quinze ao Armazém 8 - Gabriel de Paiva / Agência O Globo
De acordo com o projeto Porto Maravilha, com o fim das obras na região da Praça Quinze, em 2015, será possível ir a pé ou de bicicleta até o Armazém 8 por um caminho de 3,5 km de extensão e 215 mil metros quadrados de área total — grande parte com vista para a Baía de Guanabara.

Nenhum comentário: