quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Niterói de cara nova

27/11/2014 - O Globo

Um novo e funcional Centro da cidade. Esse é o objetivo da Operação Urbana Consorciada (OUC), que resgatará o prestígio de viver, trabalhar e passear nos bairros da região central de Niterói.

O centro da cidade de Niterói perdeu, entre 1970 e 2010, 15% dos seus moradores, segundo dados da Secretaria de Urbanismo e Mobilidade Urbana (SMU). Um dos motivos responsáveis pela migração da população da região central para outros bairros foram os impactos negativos da expansão desordenada. Com a OUC, a Prefeitura, através da Secretaria de Urbanismo e Mobilidade Urbana, pretende resgatar antigos e atrair novos moradores, num projeto audacioso que pretende integrar as duas partes da cidade: a área marítima e o centro histórico.

Ao todo serão 3,2 milhões de m2 de área revitalizada. Entre as intervenções estão a renovação da fiação aérea, a restauração de 190 mil m2 de calçadas e obras de infraestrutura e drenagem. "Todas as intervenções foram pensadas para atender as 30 mil pessoas que vivem nos bairros da região central de Niterói e para as 40 mil que estão previstas para migrar para a cidade nos próximos vinte anos", comenta Verena Andreatta, secretária de Urbanismo e Mobilidade Urbana. "O foco do projeto são os moradores, mas os setores de comércio, serviço e turismo também serão beneficiados", completa Verena.

O projeto contempla, ainda, a mobilidade total. A implantação da Linha 3 do metrô, que ligará Niterói a São Gonçalo, terá 22 km, 14 estações e cerca de 350 mil passageiros por dia, segundo dados da Secretaria de Transportes do Estado do Rio de Janeiro. Na estação de Araribóia, próximo as barcas, será inaugurada a maior integração intermodal do país, onde os passageiros terão acesso a barcas, ônibus municipais e intermunicipais e metrô, gerando um movimento de 600 mil usuários. A obra vai reduzir o tempo de viagem entre Niterói e São Gonçalo de duas horas para 40 minutos.

Uma Parceria Público-Privada (PPP) possibilitará toda essa revitalização. Isso significa que as obras serão realizadas sem onerar os cofres públicos e, o montante arrecadado com a PPP, deverá obrigatoriamente ser investido nas benfeitorias da região central da cidade, dentro da área delimitada pela OUC.

De acordo com a SMU, a previsão é de que as obras da OUC tenham início no segundo semestre de 2015 e durem, aproximadamente, três anos.

UM MAR DE OPORTUNIDADES

Niterói é um importante polo de construção naval que está produzindo navios-petroleiros, rebocadores e porta-contêineres, entre outros equipamentos Ariovaldo Santana da Rocha, presidente do Sinaval O crescimento do turismo da cidade e as perspectivas apontadas no plano estratégico 'Niterói que queremos 2013 – 2033' justificam uma ampliação na oferta de meios de hospedagens, consolidando a cidade como importante destino turístico Paulo Freitas, Presidente da Neltur Niterói é carente de hotéis com bandeiras internacionais para executivos" Bruno Serpa Pinto, diretor superintendente da Brasil Brokers

A retomada da indústria naval transformou Niterói em importante polo da construção naval no país. Em Niterói estão localizados três estaleiros de grande porte em operação Mauá, Brasa e Renave, e outros oito de médio porte. Entre 2000 e 2013, os investimentos no setor naval somaram R$ 149,5 bilhões. Desde 2004, a indústria naval brasileira avançou uma média de 19,5% ao ano, segundo dados do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea). "Hoje Niterói é um importante polo de construção naval, que está produzindo navios-petroleiros, rebocadores e porta-contêineres, entre outros equipamentos", assinala Ariovaldo Santana da Rocha, presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval). No Rio de Janeiro, a indústria naval emprega 35.458 pessoas, segundo dados do Sinaval.

Nenhum comentário: