quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Estações do Bike Rio que ocupam vagas de estacionamento causam polêmica na Zona Sul

Moradores se dividem entre elogios e reclamações sobre a falta de espaço para carros nas ruas da região

POR CÉLIA COSTA

28/01/2015 - O Globo

Bike Rio na Rua Sorocaba: uma estação onde cabiam três carros - Hudson Pontes / Agência O Globo

RIO — A instalação de estações do Bike Rio — serviço de aluguel de bicicletas — em vagas de estacionamento na Zona Sul está criando polêmica. Em alguns locais, como em frente ao número 484 da Rua Sorocaba, em Botafogo, as vagas para 12 "laranjinhas" ocupam um espaço onde antes cabiam até três automóveis. A medida pode ter desagradado a alguns, principalmente quem costumava parar os carros ali, mas foi bem recebida por outros.

A aposentada Idalina da Conceição, cuja residência fica em frente à estação, reclamou de moradores não terem sido consultados.

— Ninguém perguntou nada aos moradores. Agora não temos como parar na porta de casa quando chegamos com compras, malas... A Rua Sorocaba é estreita e ficou ainda pior para os carros — reclamou a aposentada.

Mas há também quem esteja comemorando. A recepcionista Camila Nascimento, que trabalha num prédio ao lado do 484, mora em Maria da Graça e usa o metrô todos os dias.

— Agora, terei a opção de pegar a bicicleta e seguir até a estação Botafogo. É muito melhor. Outros colegas de trabalho estão pensando em fazer a mesma coisa — elogiou.

PRESIDENTE DE ASSOCIAÇÃO PEDE DEBATE

Segundo a presidente da Associação de Moradores de Botafogo, Regina Chiaradia, é preciso ampliar a discussão para que a população entenda e apoie o projeto:

— A prefeitura está criando ciclovias e ciclofaixas com o objetivo de desafogar o trânsito. Todos reclamam do fato de haver carros demais nas ruas. As pessoas precisam entender que a proposta não é tornar a bicicleta um objeto de lazer, mas um meio de transporte.

Na Rua Gago Coutinho, em Laranjeiras, próximo ao Parque Guinle, cartazes com reclamações sobre a instalação de uma estação do Bike Rio foram colados. Nesta terça-feira, já haviam sido retirados do local.

A Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas (Secpar) informou que os locais para a instalação das estações são determinados pela Secretaria municipal de Meio Ambiente, levando em conta as áreas que terão ciclovias ou ciclofaixas. Serão instaladas mais 200 estações, elevando para 260 os pontos na cidade — 46 deverão ficar em vagas de estacionamento.

PUBLICIDADE
 

PRIORIDADE: CALÇADAS LIVRES

As queixas têm aumentado porque só agora as estações estão sendo instaladas em vagas para carros. Segundo a prefeitura, isso aconteceu porque havia a necessidade de uma série de resoluções. O coordenador de controle de concessões da Secpar, Gustavo Almeida, informou que a escolha dos pontos é discutida em fóruns realizados pela Secretaria de Meio Ambiente:

— A nossa prioridade é deixar a calçada livre para os pedestres, usando as vagas de estacionamento. A bicicleta é um transporte compartilhado por um grande número de pessoas, enquanto o carro tem uso individual. Queremos que cada vez mais pessoas usem o transporte coletivo. Os embates que estão ocorrendo são naturais, mas os usuários das bicicletas vêm aplaudindo as soluções.

A instalação de uma estação do Bike Rio, segundo Almeida, envolve três órgãos municipais: o Centro de Arquitetura e Urbanismo, o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade e a CET-Rio.



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/estacoes-do-bike-rio-que-ocupam-vagas-de-estacionamento-causam-polemica-na-zona-sul-15170179#ixzz3Q7QNt0am 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Nenhum comentário: