quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Maricá luta para fugir da crise do Comperj

04/02/2015 - O Fluminense

Pedro Conforte 

Não é só Itaboraí que pode sofrer com a situação atual do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que vem enfrentando demissões e um processo de desaceleração nas obras. De acordo com o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, a cidade vem se preparando há algum tempo para se adequar ao crescimento populacional, porém agora tenta diversificar sua economia. Além disso, a Petrobras já depositou parte do repasse de R$ 20 milhões ao município, que é destinado à obra de macrodrenagem de Itaipuaçu, por conta das obras de construção do emissário de efluentes. 

"A baixa forçada do preço do petróleo, combinada com a crise internacional e os ataques à Petrobras criam dificuldades e incertezas na cadeia produtiva do setor e isso afeta duramente os municípios produtores. Não é à toa que nossa estratégia a médio prazo é de diversificar nossa economia com o Porto de Jaconé, com a vinda de indústrias de alta tecnologia, com uma economia criativa e com o Turismo, sem falar no investimento no empreendedorismo popular", declarou o Quaquá. 

Em relação às obras de infraestrutura, o prefeito afirma que há algum tempo a cidade vem se preparando e se adequando ao crescimento populacional que, segundo ele, não é motivado apenas pelo Comperj, mas também pela chegada do Porto de Jaconé. 

"Para isso, foi planejado a implantação do zoneamento econômico para reordenamento territorial e desenvolvimento urbano, além do investimento em infraestrutura dos distritos, como as obras de urbanização", explicou. 

Sobre as obras de construção do emissário de efluentes do Comperj em Itaipuaçu, Quaquá afirma que elas continuam, e que inclusive, parte do repasse compensatório já foi feito à prefeitura. 

"Esta obra, que começou em outubro do ano passado, prevê a construção de uma rede de drenagem com mais de 4 quilômetros de extensão, que se estendem ao longo da Avenida Jardel Filho (antiga Avenida Dois), no trecho entre a Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua Um) e seu deságue após a Rua 86, além da construção de redes auxiliares, que servirão para as futuras ligações das demais intervenções em andamento, e a pavimentação de mais 40 ruas, num total de 45 km de extensão, perpendiculares à Avenida Jardel Filho", esclareceu o prefeito, informando que o investimento total na obra é de R$ 29,9 milhões.


O Fluminense

Nenhum comentário: