sábado, 11 de julho de 2015

Moradores da Ilha do Governador criam sua própria linha de barca pela Baía de Guanabara

Uso de coletes é obrigatório. Insatisfação com transportes oficiais que atendem o bairro foi motivação para serviço alternativo

POR TAÍS MENDES

11/07/2015 - O Globo


Moradores da Ilha vão da Praia da Bica à Praça Quinze em 20 minutos: barco não leva 'passageiros desconhecidos' - Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO — Os passageiros embarcam na Praia da Bica, num cais ao lado do Esporte Clube. São três viagens pela manhã partindo da Ilha do Governador rumo ao Centro da cidade, às 7h30m, 8h30m e 9h30m. No final da tarde, a volta acontece a partir da Praça Quinze, às 17h30m e às 18h30m. Como nos aviões, um dos tripulantes fala sobre as regras de segurança. O uso de coletes é obrigatório e ninguém pode viajar em pé. Protegido por um toldo, o bote corta o mar sem dar banho de água nos passageiros. Em vez de durar quase uma hora — tempo habitual do trajeto — a viagem acaba no cais da Praça Marechal Âncora em 20 minutos.

Engana-se quem pensa que se trata de uma nova linha oferecida pela CCR Barcas, que tem a concessão do transporte marítimo no Rio. Esta é uma ação entre amigos, que estavam cansados do serviço público prestado. Passageira de primeira viagem, Daniela Czerwinski, já tinha até adotado o ônibus, mas voltou ao mar com a expectativa de que ganhará três horas diárias com a novidade:

— A viagem de ônibus leva em média duas horas. Mas, se tiver um acidente na entrada da Ilha, pode levar o dobro.

A insatisfação com o serviço de barcas e os constantes assaltos nas linhas de ônibus que atendem ao bairro fizeram com que um grupo da Ilha do Governador buscasse uma alternativa. Eles contrataram uma empresa de turismo que opera em Angra dos Reis. Preferem pagar R$ 15 aos R$ 5 cobrados pela barca convencional, que faz o percurso em 55 minutos.


Os 21 passageiros vão sentados e têm que usar coletes salva-vidas - Márcia Foletto / Agência O Globo

O bote inflável tipo flexboat tem capacidade para 20 passageiros. A novidade chegou ao GLOBO via Whatsapp (9999-9110). Operada pela empresa Avant Tour, a embarcação começou a navegar na quarta-feira passada. Até agora, 30 pessoas (quase todas do Jardim Guanabara) usam nova linha, mas cada candidato a uma vaga no barco precisa ser aprovado por todos do grupo. Eles frisam que o serviço não está disponível a estranhos.

— Eu soube por intermédio de um amigo e estou gostando muito. Não aguentava mais os assaltos nos ônibus — conta a administradora de empresa Renata Assunção, de 40 anos.

O serviço da CCR Barcas também contribuiu. As queixas vão desde barcas infestadas por baratas a horários espaçados.

— Esse novo transporte é qualidade de vida. Não chego mais atrasado no trabalho e nem em casa. Agora, tenho mais tempo para ficar com a família — argumentou o servidor público Lopes Alves, de 63 anos.

A representante legal da empresa, Alda da Silva, fez questão de explicar que é um atendimento privado e não um serviço aberto à população em geral.

A Capitania dos Portos informou que não tem conhecimento do transporte compartilhado na baía, e acrescentou que cabe ao órgão apenas fiscalizar se a embarcação está regularizada e com tripulantes habilitados.

O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, disse que não tem ainda como afirmar se o transporte compartilhado é irregular. O secretário, que foi informado da novidade na sexta-feira, está consultando a Agetransp, a Capitania dos Portos e a Procuradoria do Estado:

— A CCR Barcas tem exclusividade nos roteiros que opera, e a Ilha é um deles. Minha preocupação é com a segurança dos usuários, e também com a legalidade da operação.

Em nota, a CCR Barcas informou que a linha Cocotá-Praça Quinze foi a primeira beneficiada desde que a empresa assumiu a operação do transporte, com reforma da estação e um aumento de 40% na demanda de passageiros. A CCR Barcas afirmou ainda que sete embarcações novas serão integradas à frota até o inicio de 20

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/moradores-da-ilha-do-governador-criam-sua-propria-linha-de-barca-pela-baia-de-guanabara-16734299#ixzz3fanY4yVZ 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Nenhum comentário: