quarta-feira, 19 de maio de 2010

Ideia de aparts na Zona Portuária anima mercado

SINAL VERDE


Publicada em 18/05/2010 às 23h14m
Carla Rocha - O Globo - 18/05/2010
    O PREFEITO CHEGA a hotel na Barra com a maquete do projeto de novas instalações olímpicas no Porto / Foto de Márcia Foletto - O Globo
    RIO - O sinal verde do prefeito Eduardo Paes para a construção de apart-hotéis na Zona Portuária - e só naquela região - foi suficiente para agitar o mercado. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ) e a Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) não só apoiam a ideia como começam a se articular para propor projetos ao município. Além do Porto, as entidades acreditam que a prefeitura, contrária a empreendimentos desse tipo na Zona Sul e na Barra, poderá aprovar iniciativas semelhantes em bairros que precisam ser revitalizados e não dispõem de infraestrutura hoteleira convencional, como Ilha do Governador, Santa Cruz e Deodoro. Este último conta com um atrativo especial, pois será importante complexo esportivo nas Olimpíadas de 2016.
    O presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes, disse ontem que a proposta de Paes é mais do que bem-vinda:
    - Em toda parte do mundo em que houve revitalização de portos, como Buenos Aires, surgiram vários hotéis em volta. No resto da cidade não seria conveniente porque poderia quebrar a hotelaria convencional instalada. Isso quase aconteceu em São Paulo e Fortaleza, onde foi ofertado grande número de apartamentos em flat.
    Para Lopes, o turismo corporativo poderá se beneficiar dos aparts, se eles forem autorizados em bairros sem rede hoteleira convencional. Ele lembra que há uma grande demanda de executivos, que chegam à cidade para visitar empresas instaladas na Zona Oeste ou no subúrbio e enfrentam dificuldades de deslocamento - mesmo fenômeno que aconteceu em São Paulo anos atrás.
    - Em Santa cruz, por exemplo, ao lado da CSA (Siderúrgica do Atlântico), com certeza há necessidade de quartos ali. Se vão ser hotéis ou aparts, ainda temos que discutir - observa.
    Embora tenha pelo menos até agora perdido a batalha junto à prefeitura para levar aparts para bairros nobres, a Ademi também vibrou com a notícia. O consultor de Desenvolvimento Urbano da entidade, David Cardeman, achou interessantíssima a proposta.
    - Agora, cabe à prefeitura definir os parâmetros e em que locais os aparts poderão ser construídos. Há várias empresas interessadas. Acho plenamente razoável apartamentos de 40 metros quadrados, com dez pavimentos e garagem - diz, acrescentando que provavelmente serão autorizados em empreendimentos em trechos das avenidas Francisco Bicalho e Rodrigues Alves.
    O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav-Rio), Luiz Strauss, acredita que anualmente, até a Copa, o Rio pode facilmente ter um crescimento de 10% no número de turistas estrangeiros.
    - O meio turístico vê com bons olhos (a proposta de aparts). O Rio recebe 1,9 milhão de estrangeiros por ano e este número pode dobrar. Bairros como Santa Cruz, Ilha, Deodoro, Madureira, Bonsucesso e arredores têm muitas indústrias.
    Leia mais:
    Paes expõe maquete do projeto para a Região Portuária do Rio ao Comitê Olímpico Internacional
    Livro baseado em trabalhos de escolas da Zona Portuária mostra que alunos querem mais ordem, limpeza e segurança
    Prefeitura quer permitir gabarito de até 50 andares para poder investir na Zona Portuária

    Nenhum comentário: