sexta-feira, 30 de julho de 2010

Prefeitura volta a estudar duplicação da Niemeyer

RIO 2016


Publicada em 29/07/2010 às 23h03m
Luiz Ernesto Magalhães e Ruben Berta - O Globo - 29/07/2010
  • R1
  • R2
  • R3
  • R4
  • R5
  • MÉDIA: 5,0
Prefeitura estuda projeto de duplicação da Av. Niemeyer/Carlos Ivan - O Globo
RIO - A prefeitura estuda a possibilidade de duplicar a Avenida Niemeyer entre o Vidigal e São Conrado como forma de desafogar o trânsito entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca, dentro do pacote olímpico de obras. A informação foi confirmada, nesta quinta-feira, pelo prefeito Eduardo Paes. Ele lembrou que o município firmou um compromisso com o Comitê Olímpico Internacional (COI), assegurando que terá em operação, até os Jogos Olímpicos do Rio, em agosto de 2016, uma alternativa para melhorar o deslocamento entre as duas regiões. A solução já é considerada polêmica.
- Você tem um gargalo, um problema que precisa de solução. Estamos estudando como melhorar esse corredor viário. Não descarto a duplicação da Avenida Niemeyer. É uma hipótese. Mas só vou anunciar qual será a solução quando tiver plena certeza de que será a adotada - disse o prefeito.
A proposta original que constava do caderno de encargos entregue ao COI era implantar uma nova linha de ônibus articulados (BRT) entre a Barra e a Zona Sul. O projeto, porém, foi arquivado depois que o governo do estado decidiu construir a Linha 4 do Metrô, já que isso criaria uma concorrência entre dois sistemas de transporte de massa. No início do ano, durante uma visita de inspeção do COI, Paes chegou a citar como uma outra hipótese a duplicação da Autoestrada Lagoa-Barra. Agora, ele descarta essa possibilidade, alegando que não haveria tempo de concluir o projeto até os Jogos Olímpicos:
- Precisamos de uma solução mais rápida e mais simples. E a duplicação dos túneis exigiria tempo e sairia muito cara - argumentou o prefeito.
O projeto para a Avenida Niemeyer está sob análise de técnicos da Geo-Rio. O plano incluiria a construção de uma ciclovia entre as pistas.
Leia a íntegra desta reportagem em O Globo digital (disponível somente para assinantes)

Nenhum comentário: