sábado, 3 de julho de 2010

Presídio do complexo Frei Caneca é implodido

CONJUNTO HABITACIONAL


Publicada em 03/07/2010 às 14h10m
RJ TV - 03/07/2010
    RIO - O último presídio do Complexo Penitenciário Frei Caneca, no Centro do Rio, foi implodido no início da tarde deste sábado. Na operação, foram usados 100 kg de dinamite. Por medida de segurança, as ruas próximas à região foram interditadas ao tráfego. O presídio Hélio Gomes ocupava uma área de aproximadamente 5 mil m² e foi desativado pouco antes de outros prédios do complexo serem implodidos em março deste ano.
    Na área que soma 66 mil m² será construído um conjunto habitacional com 2.500 casas. De acordo com a Secretaria estadual de Habitação, as obras começarão ainda este ano. O projeto vai beneficiar famílias de baixa renda. A prioridade, segundo a secretaria, serão os desabrigados das chuvas de abril. Mas moradores de áreas de risco do Morro São Carlos, no Estácio, também devem ser beneficiados.
    - Serão prédios de cinco pavimentos, com apartamentos de dois dormitórios e 50 m² - explica Bruno Feitosa, secretário estadual de Habitação.
    Ainda segundo a secretaria, o local também terá uma quadra de esportes e uma praça de lazer.
    Erguido com o nome de Casa de Correção da Corte, na época do imperador Pedro II, que se transformou ao longo de 150 anos em oito pavilhões - onde estiveram encarcerados presos políticos famosos, como o escritor Graciliano Ramos -, o complexo estava praticamente desativado desde 2006.
    O fim do complexo penitenciário começou com a demolição, em 2003, do presídio feminino Nelson Hungria, transferido para o complexo de Bangu, e da escola de gestão penitenciária.Em novembro de 2006, foram desativadas e demolidas as penitenciárias Milton Dias Ferreira, Lemos de Brito e Romero Neto.

    Nenhum comentário: