domingo, 15 de agosto de 2010

Uma nova velha face do glamour


Jornal do Brasil, Maria Luisa de Melo, 12/ago 

Quem passa pela Rua do Russel ou pela Avenida Beira-Mar já se depara com uma prévia de como será a nova fachada do tradicional Hotel Glória, um dos principais tesouros da cidade. Desde a semana passada, uma tela com um painel artístico foi instalada no prédio e dá a quem passa uma ideia de como ficará o local após a reforma. 

O intuito das obras, iniciadas no ano passado e que já custaram R$ 200 milhões, é o resgate da estrutura original do edifício, com 88 anos de história. 

Feito para a Exposição Internacional de 1922, que comemorava o Centenário da Independência do Brasil, o Hotel Glória é considerado um marco da arquitetura. 

Além de artistas como Madonna, o local já hospedou diversos presidentes, como José Sarney, Itamar Franco e Lula. 

Sua revitalização inclui a recomposição das fachadas do bloco principal do prédio e pretende devolver aspectos tradicionais, como a estrutura construída na cobertura do hotel para iluminar o sótão, e cada detalhe de suas janelas, como pingentes, frisos e medalhões. As janelas também serão todas restauradas para voltar ao padrão das antigas. 

Mas não é só sua arquitetura que vai mudar. Enquanto o projeto prevê um retorno ao prédio da década de 20, seu nome normal vai ser abandonado. A partir do fim do próximo ano, ele passará a se chamar Glória Palace. 

O projeto é assinado pelos arquitetos Paulo Casé e Daniel Piana, que planejaram os hoteis Hilton.
Em 88 anos, hotel atraiu estrelas e políticos 

O Hotel Glória foi projetado pelo francês Joseph Gire, o mesmo arquiteto que desenhou o Hotel Copacabana Palace, na década de 20. 

Seu projeto original, em estilo clássico, incluía também um teatro, cassino (que não existe mais), salões de festas e de jogos e áreas de lazer, além de 150 quartos. 

Mais tarde, após uma ampliação, o Hotel ganhou mais dois andares, chegando a um total de 610 quartos.
Como a Glória é próxima do Centro, ele sempre atraiu e abrigou muitos políticos e chefes de Estado do Brasil e do mundo, além de artistas do cinema e cantores renomados. 

Uma de suas grandes marcas foi o concurso de fantasias do Carnaval - que teve 34 edições até o seu fim, em 2008. 

Os artistas de destaque do concurso foram Clóvis Bornay e Evandro Castro Lima. 

Novos donos
Em 2008, depois de 50 anos como propriedade da família de Maria Clara e Eduardo Tapajós, o Hotel Glória foi vendido ao empresário Eike Batista, que pretende modernizá-lo e transformá-lo novamente num hotel de alto luxo e também em sede de sua empresa de investimentos, a EBX. A estimativa é que a empresa ocupe 25% do prédio. 

Moradores pedem que o bairro seja lembrado
Apesar de aprovarem o projeto de modernização e o retorno do Hotel Glória ao patamar dos hotéis de alto luxo, moradores do bairro dizem que não é apenas o hotel que está precisando de melhorias, mas sim toda a região. 

- Não adianta ter uma joia no meio do lixo - provocou Wilson Guedes, morador do bairro há 30 anos - O entorno do hotel está degradado e também precisa ser cuidado. 

Identidade
Considerado parte da identidade do país, o hotel extrapola os limites do bairro. Para Wilson, a maior lembrança que ficou dos tempos áureos do Hotel Glória foi a hospedagem de grandes figuras políticas. 

- Lembro do Itamar (Franco) chegando para se hospedar aqui - recordou ele. - Recentemente, o Lula também se hospedou no Glória.

Nenhum comentário: