terça-feira, 9 de agosto de 2011

Trânsito do Centro do Rio terá nova opção com o Binário do Porto

09/08/2011 - Cidade Olímpica

Via que será construída para desafogar o tráfego até a derrubada do Viaduto da Perimetral prevê construção de túnel sob o Morro de São Bento

Jorge Arraes, presidente da CDURP: “É superimportante termos uma via expressa que viabilize essa chegada a Ponte Rio-Niterói, Linha Vermelha e Avenida Brasil”
“O que é Binário do Porto?”, perguntam nove entre dez cariocas interessados em saber o que as obras de infraestrutura viária do Porto Maravilha farão com o trânsito da região.

Quem passa diariamente, de carro ou de ônibus, pela Avenida Rodrigues Alves e pelo Elevado da Perimetral percebe que as mudanças estão em andamento, mas nem sempre entende para onde elas vão.

A intervenção mais significativa, realizada no trecho entre a Praça Mauá e a Rodoviária Novo Rio, será a criação de duas avenidas paralelas à Rodrigues Alves, por isso chamada de Binário do Porto. Esta via terá como objetivo absorver o tráfego local.

– Essa é uma antiga via de trilhos, que no passado era usada por trens que faziam carga e descarga da região portuária do Rio. No projeto de revitalização, ao longo de toda essa via de trilhos vai passar uma nova avenida. Serão três pistas no sentido Praça Mauá e três pistas no sentido Avenida Brasil – detalha Jorge Arraes, presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (CDURP).

A primeira parte do Binário terá início com a construção de um túnel na Rua 1º de Março. O túnel passará embaixo do Morro de São Bento (onde fica o mosteiro), seguirá por baixo da Praça Mauá, do antigo prédio da Polícia Federal e sairá na Avenida Venezuela, na altura da Avenida Barão de Tefé.

Dali, o Binário seguirá na superfície pela Avenida Venezuela e por uma outra antiga via de trilhos paralela até o Morro da Saúde, na altura do Armazém 7, onde será feito um novo túnel, de aproximadamente 400 metros.

A partir desse ponto, a nova avenida – em trecho único – vai passar ao lado da futura sede do Banco Central e contornar a Cidade do Samba pela Rua da Gamboa. Dividida em duas pistas novamente, seguirá até a rodoviária pela Rua da Gamboa, e pela Rua Equador será direcionado o trânsito no sentido contrário.

– Nós estamos falando de um ponto que é uma das entradas e saídas da cidade. Então, é superimportante termos uma via expressa que viabilize essa chegada a Ponte Rio-Niterói, Linha Vermelha e Avenida Brasil, que será a nova Rodrigues Alves – situa Arraes, ressaltando que a região terá 50% a mais de pistas, mesmo após a derrubada do Viaduto da Perimetral.

Pensando na nova população flutuante que a Prefeitura prevê para a região do Porto nos próximos 15 anos, Arraes acredita que o Binário dará conta desse fluxo viário.

– Também tem o pressuposto de que haverá uma diminuição das linhas de ônibus no local, com a implantação mais adiante do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) – analisa o presidente da CDURP.

Arraes explica que as obras do Binário do Porto são imprescindíveis para que, apenas após sua conclusão, sejam iniciadas as obras de derrubada da Perimetral, no segundo semestre de 2013. A previsão da Prefeitura do Rio é que, iniciadas em setembro de 2011, as obras do Binário estejam finalizadas até dezembro de 2012.

Nenhum comentário: