segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Mergulhão no Centro de Niterói será licitado em dezembro

14/11/2011 - O Globo, Diego Barreto

Obras na Avenida Marquês do Paraná estão orçadas em R$ 16 milhões e devem ser executadas em até sete meses

Obras na Avenida Marquês do Paraná estão orçadas em R$ 16 milhões e devem ser executadas em até sete meses

Perspectiva da Marquês do Paraná após a conclusão das obras
DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DE NITERÓI

Cinco meses depois da interdição de parte da Avenida Marquês do Paraná, no Centro, para a construção do mergulhão no sentido Zona Sul da via, a prefeitura de Niterói definiu a data em que será conhecida a empresa responsável pela execução do projeto. Marcada para o próximo dia 5 de dezembro, a concorrência pública prevê que, além da construção da passagem de nível, a empresa vencedora será responsável pela implantação de sistema de drenagem, pavimentação e recuperação das calçadas. Imagens de perspectiva da obra após a conclusão foram divulgadas pela Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans).

Orçada em R$ 16.080.694, a construção do mergulhão tem previsão de término sete meses após o início das obras. Instalado a uma profundidade de quatro metros e meio em vão livre, o mergulhão absorverá em duas faixas de rolamento o fluxo de veículos oriundo da Avenida Jansen de Melo em direção a Icaraí, à exceção de ônibus convencionais, que permanecerão com trajeto pela superfície. Sobre a laje da passagem viária subterrânea será instalado um ponto de integração do sistema de ônibus BRT.

A expectativa do governo municipal é que o mergulhão amenize os congestionamentos no trecho. Atualmente, nos horários de pico da manhã e da noite, a via registra um fluxo de aproximadamente dois mil veículos por hora.

Enquanto a obra não é concluída, motoristas precisam de uma dose extra de paciência para circular no trecho entre o quartel dos Bombeiros de Niterói e o Hospital Universitário Antonio Pedro.

— Acredito que a obra é necessária para melhorar o trânsito no Centro, mas o esquema de trânsito montado em consequêcia das interdições não está dando conta dos congestionamentos. Enfrento trânsito na ida e na volta do trabalho — diz o bancário João Pedro Ventura, morador de Santa Rosa, que trabalha no Rio.

Troca de redes subterrâneas em conclusão

A primeira etapa do projeto para a construção do mergulhão, que previa a realocação de redes subterrâneas de concessionárias de serviços públicos, deve ser concluída nas próximas semanas. O diretor da Águas de Niterói, Dante Luvisotto, explica que, no caso das redes de água e esgoto, foram remanejados 1.200 metros de tubulação:

— Começamos o trabalho em junho e concluímos o remanejamento de 700 metros de tubulação de água e 500 metros de rede de esgoto. Estamos na fase final, faltando apenas concluir as interligações para liberar a área.

A CEG informou que está executando a ampliação e o remanejamento de 130 metros da rede que cruza a Avenida Marquês do Paraná. Segundo a concessionária, os serviços no local foram iniciados em outubro e devem ser concluídos até o fim do mês. A Oi também comunicou o remanejo de cabos e tubulação, mas não divulgou a extensão da rede realocada. A empresa afirmou que segue cronograma e padrões definidos pelos órgãos públicos competentes. A Ampla disse que fez a retirada de um poste no local e aguarda definição do município para realizar remanejamentos em sua rede elétrica aérea.

Nenhum comentário: