quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Santa Cruz receberá R$ 1,2 bilhões em recursos

27/09/2012 - O Globo Online

Distrito industrial da região atrai empresas e deve gerar 1.450 vagas

Em meio às incertezas sobre o futuro da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), o Distrito Industrial de Santa Cruz - localizado ao lado da siderúrgica - receberá ao todo R$ 1,27 bilhão em investimentos, segundo dados da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) e das empresas. Mais da metade do valor (R$ 800 milhões) virá do Novo Centro de Processamento Final de Vacinas e Biofármacos de Biomanguinhos/Fiocruz, mas outras cinco novas empresas - Rolls Royce, Gypsum, Oil States, Champion Technologies e Jeumont Electric - devem se instalar no distrito até 2014. Está prevista a ampliação da Sicpa, indústria de tintas já no local, e a instalação da TranslocServ, de locação de veículos. Hoje, dez empresas estão no Distrito de Santa Cruz. Os investimentos devem gerar 1.450 empregos.
- Vemos uma dinamização no Estado do Rio todo, mas isso é muito forte no Distrito de Santa Cruz, que era um vazio na Zona Oeste. As pessoas são atraídas para o Rio, e o distrito é o caminho natural - afirma a diretora-presidente da Codin, Conceição Ribeiro.
O interessante, para Conceição, é que os investimentos não estão apenas concentrados no setor de óleo e gás, um dos principais segmentos da economia fluminense:
- O petróleo é um alavancador de investimentos, mas também temos a previsão de recursos para a área de vacinas e a construção civil.
A Gypsum, do grupo belga Etex, produz drywalls, material usado na construção civil. A nova unidade é a segunda no Brasil (há outra em Petrolina, PE) e terá investimentos de pelo menos R$ 100 milhões.
- Decidimos pelo Distrito de Santa Cruz devido à proximidade do Porto do Rio e ao apoio do governo do Estado - diz o gerente de Planejamento Estratégico da Gypsum, Felipe Barros.
Já a Rolls Royce - segundo maior investimento do distrito - vem atender ao setor petrolífero. A unidade, com investimento inicial de R$ 200 milhões, vai montar e fazer testes de pacotes de turbinas industriais para o segmento.
O investimento de Biomanguinhos/Fiocruz é o maior. O processo de cessão do terreno pelo Estado está em curso, e o projeto foi incluído no Plano Plurianual 2012-2015 do governo federal.
- O novo centro de processamento vai triplicar a capacidade de processamento de Biomanguinhos/Fiocruz - diz o coordenador do projeto, Mauricio Zuma.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário: