segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Revitalização do Centro de Niterói começa a dar os primeiros sinais

04/11/2012 - O Fluminense, Daniel Braga

Região recebe obras para melhorar circulação de pedestres e serviços atraem investimentos. Reabertura de rua e transformação urbanística no Caminho Niemeyer são exemplos

O Centro de Niterói começa a apresentar os primeiros sinais do prometido processo de revitalização. Um deles é a reabertura da Rua Visconde do Uruguai ao trânsito de veículos na junção com Rua Maestro Felício Toledo; entre as ruas Marechal Deodoro e São João; bem como entre a Avenida Amaral Peixoto e Rua Coronel Gomes Machado. Na região, calçadas receberam "pisos guias", instalados para melhorar a acessibilidade dos portadores de deficiência visual.
Cerca de 140 trabalhadores ambulantes foram credenciados e serão instalados em outro local. As ruas Coronel Gomes Machado e Visconde de Itaboraí também serão renovadas e as obras devem ser finalizadas nos próximos meses.
Pela proposta da atual gestão, a localidade deve ser totalmente aberta ao fluxo de transportes, contribuindo para a fluidez do tráfego, após a implantação das mudanças previstas no Plano de Transporte Público, que para a Avenida Amaral Peixoto prevê a implantação de duas faixas exclusivas para ônibus e a criação de três estações terminais ao longo da via.
A transformação urbanística do Centro é também evidenciada pelo Monumental Oscar Niemeyer, um investimento privado que será construído no Caminho Niemeyer e constará de um conjunto de duas torres, onde serão instalados um hotel, salas comerciais, lojas e espaços corporativos. "Trata-se de algo de caráter único, exclusivo, não há nenhum outro na cidade com esse padrão. Temos uma fila de espera para aquisição dos espaços, sendo boa parte dos interessados de Niterói", disse Bruno Serpa Pinto, diretor-superintendente da Brasil Brokers, responsável pelo empreendimento.
"A construção de outros empreendimentos no entorno, futuramente, será natural. Pensando em colaborar no aspecto viário, o Monumental contará com 500 vagas de garagem, pois somos cientes da necessidade de estacionamento na área. Na fase anterior e posterior das obras, a arrecadação municipal aumentará, logo, a Prefeitura deverá reverter o recursos para melhorias na região central", acrescentou.
Na última semana, a administração municipal oficializou o recebimento e a aceitação do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) do complexo, que terá 26 pavimentos e outros três andares de subsolo, além de dois blocos e uma parte baixa integrada por 16 lojas. "Centro precisa caminhar para o desenvolvimento com iniciativas como essa, mas como um todo é preciso mais medidas focadas no trânsito e reordenamento das ruas. Um mercado popular, para abrigar ambulantes, também seria importante", defendeu o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, Fabiano Gonçalves.
Torre - Em dez anos, as novas estruturas integradas ao Caminho Niemeyer foram o Museu Petrobras de Cinema, a Praça Juscelino Kubitschek e o Teatro Popular. Incorporam-se ao projeto, também, o Memorial Roberto Silveira, a Fundação Oscar Niemeyer, o Museu de Arte Contemporânea (MAC) - símbolo da cidade -, além da Estação Hidroviária de Charitas.
A Torre Panorâmica, um dos últimos projetos a sair do papel pode ser arquivado no que depender do prefeito eleito, Rodrigo Neves. Ele afirmou que não tem nenhuma intenção de levar a construção adiante. "Vou arquivar o projeto", disse. "Não tem cabimento a cidade, com tantas demandas de investimentos na mobilidade urbana e na segurança, investir recursos em um projeto desse, ainda que sejam recursos de contrapartida a financiamentos do governo do estado e do governo federal", justificou.
A torre foi projetada por Niemeyer, com 80 metros de altura e visão de 360 graus. No topo está planejado restaurante e bar panorâmicos. A obra foi orçada em R$ 20 milhões e a construção teria participação do governo federal, através do Ministério do Turismo.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário: