sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Restrições no Elevado do Joá começam já na segunda-feira

11/12/2012 - O Globo

Caminhões serão banidos e limite de velocidade para ônibus e automóveis cairá de 80 para 60km/h Riscos acabam com as obras

Técnicos da Coppe sugerem a substituição total das pistas Pablo Jacob / O Globo

Com sinais de degradação estrutural, apontados por um estudo da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia (Coppe) da UFRJ, o Elevado do Joá vai passar por uma ampla reforma em 2013. Embora as obras só devam começar daqui a, no mínimo, 15 dias, duas medidas vão ser tomadas pela prefeitura, já na segunda-feira: o limite de velocidade nas pistas, atualmente de 80 km/h, passará para 60km/h. Além disso, a circulação de caminhões será totalmente proibida, em qualquer horário do dia ou da noite, durante 12 meses. Atualmente, é proibida a circulação de veículos de carga das 6h às 10h e das 17h às 20h, nos dias úteis. As duas mudanças haviam sido recomendadas pela Coppe para evitar a sobrecarga do viaduto.

Segundo o prefeito Eduardo Paes, técnicos da Secretaria municipal de Obras e consultores externos se reuniram, ao longo da semana passada, sobre os problemas apontados pela Coppe e decidiram por uma série de intervenções no Elevado do Joá. Elas serão feitas para aliviar o peso suportado pelas estruturas de concreto que sustentam as pistas e as vigas do viaduto. Conhecidas como dentes Gerber, essas estruturas estão com sinais de corrosão e, em alguns casos, com o concreto rachado. Ao todo, o Elevado do Joá conta com 1.996 dentes, sendo que a Coppe vistoriou 840 (42,1%). Cerca de 10% das estruturas inspecionadas estavam comprometidas.

Pelo projeto da prefeitura, embaixo dos dentes Gerber serão instaladas vigas metálicas em todos os pórticos. Apoiadas em macacos tóricos, que serão instalados, por sua vez, em cima de estruturas de aço chamadas consoles, elas vão passar a suportar o peso do elevado, junto dos consoles, no lugar dos dentes. Com isso, os riscos de acidentes no Joá, desaparecem, segundo Paes.

Os técnicos vêm se unindo desde a semana passada. Eles não determinaram, não pediram que fechasse o elevado. Se fosse necessário fechar o elevado, eu fecharia. Segundo eles, o risco de cair o elevado é igual a cair este prédio aqui tranquilizou Paes.

Riscos acabam com as obras

Segundo o engenheiro João Casagrande, um dos que prestaram consultoria à prefeitura no caso do Elevado do Joá, as intervenções terminam com qualquer risco:

Os pórticos, os pilares e as fundações foram reformados ao longo de 2012 e estão ok. Quando as vigas metálicas e consoles forem instalados, acaba o problema no Joá. É uma solução definitiva. Os pilares que precisaram ser recuperados já foram, a prefeitura vai poder se preocupar com outra coisa.

As obras para instalar as vigas e consoles devem começar ainda este ano. O primeiro tabuleiro que sofrerá as intervenções será o inferior. Como as vigas vão ficar entre o viaduto e a rocha, não deverá haver alterações no trânsito. A previsão é que essas obras durem cerca de seis meses. No tabuleiro superior, quando as vigas forem instaladas, elas vão diminuir o pé-direito das pistas sentido Barra-Zona Sul, e haverá alterações, ainda não definidas, no trânsito. Como as vigas medem cerca de 60cm de altura, o vão entre os tabuleiros passará a ser de quatro metros. Segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, isso não afetará a passagem dos ônibus, que medem 3,5 metros de altura. Numa segunda etapa da obra, para que o pé-direito volte ao original, serão feitas vigas de concreto e, então, retiradas as metálicas. A estimativa é que as obras custem cerca de R$ 7 milhões.

Ampliação do Joá deve ser licitada em 2013

As intervenções emergenciais não vão atrapalhar os planos de Eduardo Paes de aumentar a capacidade da ligação Zona Sul-Barra. O projeto executivo para o túnel que será criado, paralelo ao Elevado do Joá, deve ficar pronto em fevereiro.

Ao longo do ano que vem, licitamos o túnel. Uma obra não comprometerá a outra diz Eduardo Paes.

O engenheiro Eduardo de Miranda Batista, que coordenou o estudo da Coppe e afirmou, semana passada, que a solução definitiva seria reconstruir praticamente todo o elevado, disse ontem que a solução que será adotada pela prefeitura resolve o problema do Joá.

Esse sistema funciona. Vai adiantar e durar muito tempo. A retirada da carga dos dentes dará segurança. Já foram feitas muitas intervenções no viaduto, os pilares com corrosão foram feitos este ano. Mas vai ter problema de novo até 2016 se a manutenção não for permanente.

Segundo a prefeitura, com as vigas e consoles, a manutenção será mais fácil, já que as estruturas ficarão visíveis, o que não acontece com os dentes.

Oito guardas vão orientar trânsito

Na segunda-feira estará implantada a sinalização vertical indicando aos motoristas as novas restrições e o novo limite de velocidade. Oito agentes da prefeitura, entre guardas municipais e controladores da CET-Rio, orientarão os motoristas e impedirão que os caminhões acessem o elevado, tanto pela Barra da Tijuca quanto por São Conrado. Serão instalados painéis de mensagens reforçando a proibição.

Como rota alternativa para os caminhões, a prefeitura recomenda principalmente a Linha Amarela, existindo a alternativa também da Estrada do Joá. Para controlar a velocidade no elevado, serão instalados pardais, mas ainda não há data definida.

Nenhum comentário: