quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Shopping no Alemão vai oferecer 6 mil empregos

21/02/2013 - O Dia, Pablo Vallejos

Moradores da região serão contratados para trabalhar no centro comercial que abre ainda este ano. Microempreendedores da comunidade vão ocupar 60% das lojas

Seis mil vagas de empregos serão abertas com a construção do Favela Shopping, no Complexo do Alemão. O oficialização ocorreu ontem durante a criação da FHolding, responsável por tocar o empreendimento em parceria com o grupo UAI. O shopping deve ser inaugurado ainda este ano na comunidade pacificada. As seis mil oportunidades serão destinadas a moradores da região. A maioria das lojas vai acolher microempreendedores locais.
A ideia é aproveitar a explosão de consumo da Classe C que mora em favelas no país. Com isso, haverá geração de emprego e renda na comunidade. O investimento de cerca de R$ 20 milhões terá 500 lojas, sendo 60% ocupados por comerciantes do Alemão.
Todo o trabalho de manutenção, segurança, limpeza e de venda nas lojas será feito por moradores da região que serão contratados. O presidente da rede UAI, Elias Tergilene, espera a liberação do espaço pelo governo para implantar o shopping.
À ESPERA DE LIBERAÇÃO
"Assim que tivermos a liberação pelo governo do Rio da área onde ficará o shopping, iniciamos as obras e, em seis meses, inauguramos", afirmou Tergilene. Segundo ele, os moradores da favela terão prioridade na contratação para o empreendimento, que serão a força de trabalho formal de todos os cargos do empreendimento. Além disso, camelôs do Complexo do Alemão também terão vez como lojista no centro comercial.
"Tudo será feito pelos próprios moradores", diz o empresário. A intenção é gerar emprego e renda para os 49% de jovens que vivem em favelas brasileiras que preferem não dizer onde moram em entrevistas de emprego, segundo o Instituto Data Popular.
O shopping contará com apoio da Caixa Econômica, que pretende instalar agência no local. Será possível ter acesso a microcréditos para os empresários e mais emprego para moradores.
QUALIFICAÇÃO JÁ
Entre os parceiros da FHolding, o Favela Data também vai abrir novas oportunidades para a comunidade. Segundo Renato Meirelles, que está à frente do instituto de pesquisa, a iniciativa vai contar com um time de profissionais capaz de qualificar moradores do Alemão em finanças pessoais e economia para trabalhar no Favela Data.
CONSUMO É A PALAVRA
Nos dados do instituto, a Classe C está mais representativa no consumo de todo o país. São 12 milhões de pessoas morando em comunidades, com maior concentração em São Paulo e Rio de Janeiro. Shoppings como o do Alemão serão focados em um público que consome R$ 56 bi por ano.

Nenhum comentário: