domingo, 15 de setembro de 2013

Prometida melhorias para o Leste Fluminense

14/09/2013 - O Fluminense

Arco Metropolitano vai facilitar o escoamento de produção pelo Porto de Itaguaí e é uma aternativa além da Ponte. Foto: Governo do Estado / Fernanda Almeida

Paula Valviesse 15/09/2013

Pacote de mobilidade urbana para a região fica completo após DNIT entregar proposta de licitação para obras que compõe Arco Metropolitano

Com a entrega das propostas da nova licitação que compõe o Arco Metropolitano, realizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), para a obra nos 25 quilômetros de extensão da BR-496/RJ, marcada para outubro, o pacote de mobilidade urbana para o Leste Fluminense, anunciado pelo Governo Federal, fica completo. Compondo o conjunto, já foram anunciados o BRT (Bus Rapid Transit) e a construção da Linha 3 do Metrô. Com isso, São Gonçalo começa a se adaptar para receber as intervenções, que ainda vão beneficiar a regularização do sistema de vans.

No pacote de obras de melhoria da mobilidade urbana, que prevê um favorecimento da região metropolitana do Rio, facilidade de integração para escoamento de produção pelo Porto de Itaguaí e o surgimento de uma alternativa, além da Ponte Rio/Niterói, para o tráfego de carga e de veículos que buscam a região norte, está a discriminação das obras do Arco Metropolitano, especificamente na extensão da BR-493/RJ, sob responsabilidade do DNIT. A ordem de serviço para a realização de obras no trecho foi assinada junto ao Governo do Estado, em 2010, mas complicações na licitação, com a saída do consórcio ganhador, problemas com licenciamento ambiental, com a descoberta de inúmeros sítios arqueológicos, resultou em uma descontinuidade do projeto. 

"A nossa parte, que vai da Rio/Petrópolis até a Rio/Santos, estamos nos esforçando para entregar em dezembro. Se atrasar um pouco vai ser fevereiro ou março, por causa do período de chuvas, mas a BR-493 o Governo Federal já está fazendo a licitação e eu acredito que o prazo é para 2015, junto com o Comperj", ressaltou o vice-governador, Luiz Fernando Pezão, sobre a situação do Arco.

Nesses termos, para dar seguimento à obra, o DNIT publicou um novo edital, com licitação na modalidade de RDC – Regime Diferenciado de Contratação –, para a contratação de projeto executivo e obras de duplicação e restauração com melhoramentos dos 25 quilômetros de extensão da BR-493/RJ, com recebimento das propostas marcado para o dia 29 de outubro e prazo de execução de 1.260 dias.

A obra abrangerá parte dos municípios de Itaboraí, Magé e Guapimirim. Os serviços compreendem construção de nova pista e restauração da já existente nos trechos da BR-101, no distrito de Manilha, até o Porto de Itaguaí e melhoramentos nos subtrechos na entrada da BR-101 e no entroncamento da BR-116, na localidade de Santa Guilhermina, no município de Magé, incluindo viadutos, pontes, passarelas e passagens inferiores, e ainda uma saída para o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj). 

Além disso, segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, há ensaios sobre a extensão do arco em direção a Maricá, utilizando a RJ-114, o que potencializaria a questão da mobilidade urbana, com o desvio do tráfego de cargas, que passaria a ser feito preferencialmente pelas vias reestruturadas. "Os sistemas intra-metropolitanos, como a Avenida Brasil, a Ponte, a BR-101, a BR-040 e a BR-116, entre outras rodovias, serão desafogados com  o tráfego preferencial de cargas pelo Arco".

Acompanhando a questão do desenvolvimento de vias alternativas com objetivo de dar mais fluidez ao trânsito na região, a vinda da presidente Dilma, do governador Sérgio Cabral e do vice, Luiz Fernando Pezão, a São Gonçalo oficializou a liberação de verbas para a construção do BRT no município e a viabilização da Linha 3, dois projetos há muito esperados pela população do Leste Fluminense. 

Transporte alternativo - A implantação do BRT em São Gonçalo chega em um momento de grandes discussões sobre o transporte público do município. Com uma reunião marcada para a próxima semana com os representantes do grupo que busca a regularização do transporte alternativo na cidade, o prefeito Neilton Mulim adiantou algumas informações sobre o projeto do Transporte Complementar.

De acordo com o prefeito, com a definição dos dois grandes corredores viários, com o BRT e a Linha 3, a discussão sobre como será feita a legalização das vans que operam no município se torna mais ampla, buscando integrar o sistema para complementar o transporte público nas localidades onde não há linhas de ônibus. Contudo, o prefeito explica que para a legalização dessa forma de transporte será necessário equacionar junto aos motoristas de vans um quantitativo de veículos que poderão circular na cidade. 

 

Niterói – Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), Felipe Peixoto, foi licitado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) um Plano Funcional para a Rodovia Amaral Peixoto (RJ-104), onde está pautado o estudo para um novo corredor de transporte em uma região mais no interior de São Gonçalo, beneficiando com isso Niterói.

"Esses estudos poderão dizer se é possível termos um sistema BRT nesse corredor arterial, ligando Niterói a Alcântara. A Sedrap tem atuado em impulsionar esses projetos, no sentido de melhorar a circulação no Leste Fluminense, realizando estudos e parcerias com a Setrans, Seobras, DER e municípios, o que culminou na reestadualização da RJ-100 e em obras de melhorias nesta via", disse. 

Nenhum comentário: