segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Em 2015, a Tijuca vai entrar na rota das ciclovias cariocas

29/12/2014 - O Globo

No ano em que o Rio chega aos 450 anos, a prefeitura promete presentear a cidade com a marca de 450 quilômetros de malha cicloviária. No começo de 2015, a Tijuca será um dos primeiros bairros a receber parte dos 70 quilômetros que faltam ser construídos para atingir a meta. Com 7,5 quilômetros, a nova via fará a ligação entre a Praça Saens Peña e a Praça Quinze, no Centro, permitindo que o ciclista saia da Zona Norte e chegue à Zona Sul pedalando. Hoje, a cidade tem 380 quilômetros de ciclovias.

— Como a ciclovia vai cruzar com a ciclofaixa da Avenida Graça Aranha, quem quiser poderá partir do Centro rumo à Zona Sul, via Aterro do Flamengo — explica o subsecretário municipal de Meio Ambiente, Altamirando Moraes.

TRAÇADO ESTÁ QUASE PRONTO

Alguns detalhes do traçado ainda estão sendo finalizados pela Secretaria municipal de Meio Ambiente, mas o projeto básico prevê que a nova ciclovia passe pela Mariz e Barros, siga por ruas do Estácio, incluindo a Frei Caneca e as que existem na área do Sambódromo, até alcançar a Praça Quinze.

— Sabemos que na Tijuca há muitos funcionários da prefeitura que poderiam usar a bicicleta para ir ao trabalho. Uma das alternativas que estamos estudando é que, ao passar pela Frei Caneca, a ciclovia entre pelo Túnel Martim de Sá, que faz ligação com a Praça da Cruz Vermelha. Dali, o ciclista poderia chegar até as Avenida Chile e Almirante Barroso, seguindo até a Praça Quinze — completa Altamirando Moraes.

Com um investimento previsto de R$ 5,625 milhões, a ciclovia da Tijuca foi uma das ideias propostas pela sociedade no Desafio Ágora Rio, plataforma colaborativa promovida pela prefeitura para discussão de políticas públicas.

— Como houve esse pedido no Desafio Ágora, a prefeitura escolheu incluílo no planejamento de 2015. Foi ótimo, porque na secretaria já havia um projeto básico de ciclovia para a região, e agora estamos fazendo os estudos junto à CET-Rio. Esta ciclovia fará uma importante ligação entre a Zona Norte e a Zona Sul — diz o subsecretário.

Moradores e comerciantes do bairro vêm participando de reuniões com técnicos da Secretaria de Meio Ambiente para escolher o melhor traçado. Segundo o subsecretário, a proposta é que o percurso incentive os moradores da Grande Tijuca a irem ao Centro pedalando, além de possibilitar que também façam uma integração com as estações de trem (no Maracanã) e do metrô.

Segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial da Tijuca, Jaime Miranda, moradores e comerciantes acham importante que a ciclovia facilite o trânsito entre Tijuca, Vila Isabel, Grajaú e Andaraí. Por isso, sugere, o traçado deveria incluir pequenas ciclofaixas, com no máximo três quilômetros, para estes deslocamentos.

— A ciclovia será importante inclusive para os comerciantes da Grande Tijuca, já que muitas entregas são feitas por meio de bicicletas. Ela vai trazer mais segurança para os entregadores e para quem circula pelas calçadas.

Nenhum comentário: