quarta-feira, 11 de março de 2015

Maré terá ciclovia que ligará comunidade aos BRTs TransBrasil e TransCarioca

Nova rota terá 22 quilômetros e deve ser inaugurada em 2016

POR BRUNO AMORIM

11/03/2015 - O Globo

Simulação de como ficará a conexão entre o morro do Timbau e a Vila dos Pinheiros após a construção da ciclovia - Divulgação / Editoria de Arte

RIO — A prefeitura inaugurou nesta quarta-feira as obras da ciclovia da Maré. A nova rota, que deve ser inaugurada em 2016, vai ligar a comunidade às estações do BRT TransBrasil, ainda em construção, e TransCarioca, além do Fundão. Ao todo, serão 22 quilômetros de ciclofaixa e faixa compartilhada que terá o custo estimado de R$ 7 milhões, como adiantou o jornalista Ancelmo Gois. Durante o evento de inauguração, o prefeito Eduardo Paes afirmou que a ciclovia na verdade é simbólica, pois já existe uma população local que usa o transporte diariamente.

- A ciclovia é simbólica, só existia para burguês da Zona Sul ter o seu lazer. Estamos invertendo essa lógica, dando ciclovia para o trabalhador. Não estamos simplesmente estimulando o uso de bicicletas, pois já existe uma população grande na Maré que usa bicicletas sem o apoio do poder público - disse o prefeito.

A ideia de fazer uma ciclovia no Complexo da Maré partiu dos próprios moradores. Quando a prefeitura resolveu atender aos pedidos das associações de moradores, começaram discussões que duraram cerca de um ano. Foi através dessas conversas que foram definidos o traçado da ciclovia e os pontos para instalação de 2 mil vagas em bicicletários.

PRIMEIRA CICLOVIA EM FAVELA

Para o subsecretário de Meio Ambiente, Altamirando Moraes, a implantação da ciclovia na comunidade alcança dois objetivos: internamente ajuda a ordenar o trânsito e o uso de bicicletas. Além disso, ela vai ajudar os moradores a saírem da comunidade, conectando o Complexo da Maré aos BRTs, Bonsucesso (onde há uma estação de trem) e Fundão.

- Quando buscam um centro comercial, grande parte (dos moradores da Maré) busca Bonsucesso. Além disso, cerca de 25% da população do Complexo trabalha no Fundão, em serviços de limpeza e construção civil - afirmou o subsecretário.

Ainda segundo Altamirando, a escolha do Complexo da Maré para ser a primeira favela da cidade com plano de mobilidade por bicicleta foi motivada pela geografia local:

- As pessoas que mais usam bike são de comunidades. Em favelas mais verticais as bicicletas ficam na base do morro. Já a Maré é plana: terreno ideal para uma ciclovia.

O Rio é a cidade com a maior rede de ciclovias da América Latina, com 380km. A prefeitura já prometeu chegar aos 450km de malha cicloviária até 2016.

COMPLEXO ESTÁ OCUPADO PELAS FORÇAS ARMADAS

Cerca de 130 mil pessoas moram no Maré — um complexo com 16 comunidades situado na Zona Norte, entre duas das principais vias expressas da cidade, a Linha Vermelha e a Avenida Brasil. A Maré foi ocupada pelas por 2,7 mil homens das Forças Armadas, em 5 de abril. de 2014. O prazo da ocupação, que inicialmente seria apenas até o final do ano passado, foi estendido até junho deste ano. Apesar da presença dos militares, os confrontos têm sido frequentes na região, considerada uma das mais perigosas do Rio.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/mare-tera-ciclovia-que-ligara-comunidade-aos-brts-transbrasil-transcarioca-15563319#ixzz3U76diRKN 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Nenhum comentário: