sábado, 6 de junho de 2015

Niterói-Manilha será alargada

06/06/2015 - O Globo

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou a concessionária Autopista Fluminense a iniciar os estudos para a ampliação das pistas da Rodovia Niterói-Manilha, em 23 quilômetros, do Barreto, em Niterói, até Manilha, em Itaboraí. O gramado do canteiro central dará lugar a duas novas faixas, uma em cada sentido, e uma mureta de concreto será construída para separá-las. O Trevo de Manilha, outro grande gargalo da BR-101 que provoca longos engarrafamentos, principalmente em feriadões e fins de semana como este, quando há grande movimento de ida e de volta da Região dos Lagos, também parece estar com os dias contados: será construída uma variante, de seis quilômetros, para tirar o tráfego da BR-101 daquele ponto. Já a Avenida do Contorno terá sua duplicação concluída em julho. Os moradores de Niterói poderão ter, em breve, uma rodovia ampliada e livre para chegar a São Gonçalo e aos municípios da Região dos Lagos e do interior fluminense. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou a concessionária Autopista Fluminense a iniciar os estudos para a ampliação das pistas nos 23 quilômetros da Rodovia Niterói-Manilha, do Barreto, em Niterói, até Manilha, em Itaboraí. As duas novas faixas, uma em cada sentido, serão construídas no gramado do canteiro central, que será substituído por uma mureta de concreto.

O presidente da ANTT, Jorge Bastos, autorizou os estudos e também garantiu que ficam prontas, nos primeiros dias de julho, no início das férias escolares, as obras de alargamento da Avenida do Contorno, que são esperadas há 41 anos, desde a inauguração da Ponte Rio-Niterói, em 1974. Na inauguração das obras, Bastos vai anunciar a solução para acabar com o outro grande gargalo da BR-101: o Trevo de Manilha, que provoca longos engarrafamentos, principalmente nos dias de grande movimento de ida e de volta da Região dos Lagos. Será construída uma variante, de seis quilômetros, para tirar o tráfego da BR-101 do Trevo de Manilha. A Avenida do Contorno era um dos principais gargalos rodoviários do Estado do Rio.

— O alargamento da Avenida do Contorno é uma das mais importantes obras já realizadas no estado, porque vai desafogar o trânsito de Niterói e também beneficiará os motoristas que procedem da Ponte Rio- Niterói. Este gargalo chega a provocar engarrafamentos que atingem o Rio e tumultuam a saída dos niteroienses para Zona Norte, São Gonçalo e o interior do estado — disse o presidente da ANTT.

Com 2,2 quilômetros, a Avenida do Contorno foi construída na década de 1960 como via urbana para ligar Niterói a São Gonçalo. Em 1974, quando a via passou a receber o fluxo de tráfego da Ponte Rio- Niterói, o então ministro dos Transportes, Mário Andreazza, anunciou a duplicação da rodovia, mas somente agora a obra foi executada.

Diretor-superintendente da Autopista Fluminense, Odílio Ferreira disse que a Contorno seria inaugurada no dia 12, mas houve atraso de 20 dias para modificar a posição de uma adutora da Águas de Niterói no trecho do Rio Maruí Grande, que ganhou uma nova ponte junto ao Estaleiro Renave. Também demorou a remoção dos postes para construção da alça de acesso ao Barreto. Iniciada em fevereiro de 2013, a ampliação da Contorno custou R$ 90 milhões, R$ 25 milhões a mais do que fora orçado inicialmente. Pela rodovia passam cerca de 90 mil veículos por dia.

— A obra já era para estar pronta, mas tivemos problemas com o remanejamento das redes de água e de luz. Também houve atrasos para não prejudicar a produção dos estaleiros que ficam na margem da rodovia. Nós reconhecemos os transtornos que a obra está causando aos motoristas na sua fase final, mas, na primeira quinzena de julho, vamos entregar as seis pistas livres, três em cada sentido — prometeu, acrescentando que já foram iniciados os estudos de engenharia para a ampliação da Niterói-Manilha.

PREVISÃO DE RETENÇÕES NO TREVO

Com a conclusão das obras da Avenida do Contorno, os problemas dos motoristas serão transferidos para o Trevo de Manilha. Para o local convergem os veículos procedentes não só da Niterói-Manilha como também da RJ-104 e da BR-493, que liga Magé a Manilha. Conservada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit), a BR-493 seria duplicada para facilitar o acesso ao Comperj. As obras, contudo, estão paradas, e a estrada pode ser privatizada. O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, não confirmou nem desmentiu a entrega da Magé-Manilha à iniciativa privada, com cobrança de pedágio:

— A presidente Dilma anuncia, terça-feira, as rodovias que serão privatizadas. Por enquanto, não posso adiantar nada sobre o assunto.

O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, levou o ministro para sobrevoar o Trevo de Manilha e a BR-493. Ele entregou ao ministro uma proposta para construção de uma nova pista, com elevado, para tirar o tráfego da BR-101 de Manilha. Se o projeto for aprovado, o trecho dali até Itaboraí volta a ser uma rodovia estadual apenas para tráfego local:

— O projeto dá uma nova geometria à região de Manilha, com um desvio que elimina dois gargalos: nos trevos de Manilha e de Varandinha, em Itaboraí. A obra será feita pela Autopista Fluminense, e o estado vai assumir as despesas com desapropriações. O assunto será discutido no pacote de concessões das rodovias federais.

Nenhum comentário: