quinta-feira, 4 de maio de 2017

CRT alega desequilíbrio

20/03/2017 - Valor Econômico

A Concessionária Rio Teresópolis (CRT) informou na sexta-feira que protocolou, no dia 14, uma ação de obrigação de fazer, com pedido alternativo condenatório e pedido de tutela de urgência contra a União e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), "em razão de grave desequilíbrio econômico-financeiro existente no contrato de concessão firmado com a CRT, que persiste desde 2013". A CRT, que tem como sócios Construtora OAS, Carioca Christiani-Nielsen Engenharia, Construtora Queiroz Galvão e Empresa Industrial Técnica (EIT), administra os 142,5 quilômetros da Rodovia Santos Dumont (BR-116/RJ), no Estado do Rio de Janeiro. Segundo a CRT, o desequilíbrio foi provocado, principalmente, pelas retiradas das praças de pedágio localizadas nos quilômetros 14 e 71. A empresa afirma que, desde 2013, tem tentado junto a ANTT uma forma de reequilibrar o contrato.

Nenhum comentário: