sábado, 27 de maio de 2017

Ficou combinado com os russos

26/05/2017 - O Globo

Guilherme Ramalho

Após O GLOBO revelar detalhes da viagem do prefeito à Rússia, Marcelo Crivella convocou uma coletiva de imprensa, ontem, seis horas depois de desembarcar no Rio para falar sobre a visita a Moscou. O prefeito anunciou que pretende fazer uma operação urbana consorciada para revitalizar o entorno da linha férrea no Rio. Ele mostrou um carta de intenção, assinada pelo empresário Alexey Semenyachenko, presidente do Olympic City Group, em que o russo diz ter interesse em participar das obras.

A ideia, segundo o prefeito, é construir, em parceria com a iniciativa privada, uma passagem de concreto por cima dos trens, onde seriam instalados praças, restaurantes, lojas, centros de exposições, habitações e prédios comerciais. De acordo com ele, inicialmente, a região que receberia o investimento ficaria entre o Maracanã e a Central do Brasil. Depois, o projeto poderia seguir por sete bairros, numa área de 850 mil quadrados entre Méier e Santa Cruz. A receita para o empreendimento viria da arrecadação com a venda dos Certificados do Potencial Adicional de Construção (Cepacs), estimada em R$ 10 bilhões pelo prefeito. 

PROJETO TERIA APOIO DE PEZÃO

Crivella disse que pretende lançar o mais rápido possível um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), chamamento público para que as empresas interessadas formalizem propostas para integrar a iniciativa. Antes da licitação, serão realizados estudos de viabilidade, que devem durar seis meses. Já as obras só começariam em 2018, segundo estimativas de Crivella. A proposta também vai precisar de aval da Câmara de Vereadores, que teria que mudar as condições do uso do solo e do gabarito das edificações.

O prefeito explicou que a ideia de viajar para Moscou começou quando o governador Luiz Fernando Pezão o chamou no Palácio Guanabara para informar que havia sido procurado por investidores russos. Crivella, no entanto, não comentou sobre os gastos com a viagem. Mostrou fotos de sua estada em Moscou e disse que já tem o apoio do governador. Segundo ele, os terrenos que serão revitalizados são do estado e foram cedidos à SuperVia.

- O Pezão está conosco nesse projeto. Há hoje uma cessão à SuperVia, que também estará conosco nesse projeto. E a prefeitura é dona do espaço aéreo, que ela venderia ou abriria mão por meio de Cepacs - afirmou Crivella, que viajou sábado para a Rússia e voltou ontem.

A SuperVia informou, por nota, que não foi comunicada pelo estado sobre o projeto. A concessionária disse que está aberta a conhecer a proposta.

De acordo com o prefeito, a visita teve o objetivo de atrair investimentos para a cidade. Ontem, em vídeo postado em sua página oficial no Facebook, Crivella disse que "o Rio tem muito a aprender com Moscou". O prefeito contou que assinou um acordo de cooperação entre as duas cidades e firmou o compromisso de receber a delegação russa no Rio para apresentar a cidade. Ele acrescentou que Moscou está "verticalizando áreas de comunidades pobres" - projeto que a prefeitura pretende desenvolver em Rio das Pedras - e fez uma grande renovação nas escolas e área de saúde.

Conforme O GLOBO mostrou ontem, a viagem do prefeito virou tema de discussão dentro da Câmara de Vereadores. Como o município arcou com as despesas do deslocamento de Crivella, a notícia não caiu bem no Legislativo carioca. Os gastos para os cofres públicos chegaram a R$ 40 mil, entre bilhetes aéreos, diárias e serviços de tradução.

Nenhum comentário: