segunda-feira, 17 de julho de 2017

Downtown celebra 20 anos com reforma, expansão e passarela para o metrô

16/07/2017 - O Globo

Espaço no subsolo vai abrigar lojas-âncoras até o fim do próximo ano
   
POR CAROLINA CALLEGARI 

Lojas dos blocos 4, 5 e 6 vão abrigar restaurantes, transformando o espaço num polo - Analice Paron / Agência O Globo

RIO — O Downtown completa 20 anos de funcionamento só no próximo ano. Porém, os preparativos para as comemorações estão em andamento, e a pleno vapor. A promessa é de dar cara nova ao condomínio sem perder a personalidade. Os planos incluem modernização dos 23 blocos, inauguração de uma área subterrânea com cinco lojas-âncoras e de uma passarela ligando o empreendimento diretamente à estação Jardim Oceânico do metrô.


Juliana (de blusa branca), sócia do Sound Club, com integrantes das bandas Drenna, Kapitu e Folks
Artistas da cena alternativa ganham os palcos na Barra e no Recreio

Dois anos depois do food truck, The Burger Experience tem a primeira loja, no shopping Downtown
Hamburguerias carioca e americana apostam em lojas e receitas originais
O projeto inclui, ainda, a criação de um polo gastronômico. Até 12 restaurantes de cozinhas variadas vão ocupar as lojas voltadas para o corredor entre os blocos 4, 5 e 6.

O condomínio tem mais de 200 mil metros quadrados de área construída, e ganhará mais de cinco mil metros quadrados de área locada com o projeto do arquiteto Eduardo Mondolfo. O novo espaço foi projetado especialmente para receber cinco lojas-âncoras, numa tentativa de atrair o público também aos fins de semana e diversificar a gama de ofertas, diz o executivo e fundador da CG Malls, Claudio Guaranys, responsável pela administração do empreendimento.

— A expansão vai mudar o funcionamento. Hoje, recebemos 35 mil pessoas por dia, de segunda a sexta, sendo boa parte funcionários dos espaços abertos no condomínio. As lojas-âncoras vêm para movimentar. Fizemos uma pesquisa sobre os pedidos dos clientes e chegamos aos segmentos de vestuário, eletrônico, livraria. A vinda das Lojas Americanas, primeira confirmada, está em fase final de acordo — conta Guaranys.

Entre os requisitos para a expansão estão não descaracterizar o empreendimento e não isolar o público do ambiente externo, mesmo numa área subterrânea. O acesso para o novo andar, por escadas rolantes, será em meio a uma cobertura verde elevada, como uma rampa, com até oito metros de altura. O arquiteto Eduardo Mondolfo, que assina projetos de prédios conhecidos, como o do Shopping Leblon e o do Hotel Fasano, explica a nova área.

— O que se imaginou é que a cobertura fosse como um prosseguimento da alameda principal, como um jardim longo subindo. As laterais serão de vidro para dar a sensação de mergulhar nesse espaço, aproveitando a luz natural para o ambiente. Quem estiver no Downtown terá a sensação do jardim se levantando. E quem estiver na Avenida das Américas, a impressão de um marco arquitetônico — conta Mondolfo.

A conclusão do novo andar e o funcionamento das lojas- âncoras estão previstos para meados do segundo semestre de 2018. Enquanto isso, o público verá a reforma de 22 blocos. O de número 20 foi o piloto, onde é possível ver as modificações a serem replicadas. Os corredores estão mais iluminados com luz natural, o piso e a pintura internos estão mais claros e as escadas são de mármore com vidro nas laterias.

A reforma de cada bloco dura cerca de quatro meses. A capacidade é de fazer as obras em até três unidades simultaneamente — contando com o desafio de não prejudicar o funcionamento. No quesito segurança, o Downtown está instalando 670 câmeras, monitoradas por uma central. O investimento total das novidades é de R$ 75 milhões, incluindo cerca de R$ 2 milhões para a passarela que ligará o empreendimento até a estação do metrô.

— Queremos comemorar os 20 anos do Downtown dando uma cara mais moderna, elegante e sofisticada. As modificações que estamos fazendo é para mais conforto ao condômino e ao cliente. A passarela será iluminada, coberta e monitorada por câmeras. A prefeitura já aprovou a construção, e vamos arcar com os custos. Faltam documentos para o início da obra, a serem entregues no fim deste ano — adianta Guaranys.

Nenhum comentário: